sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos cinco mortos e 30 feridos em ataque a manifestantes na Líbia

Pelo menos cinco pessoas foram mortas e 30 ficaram feridas hoje em Benghazi, no leste da Líbia, por tiros de obuses que visavam uma manifestação contra um projeto de governo de união nacional proposto pela ONU, segundo fonte médicas.

© Esam Al-Fetori / Reuters

Desconhece-se a identidade dos autores do ataque.

"Os obuses atingiram os manifestantes que estavam a protestar contra um projeto de acordo da ONU, no centro de Benghazi, matando cinco pessoas e ferindo outras trinta", declarou à AFP uma fonte médica.

"O número poderá ser muito maior, pois as equipas de socorro estão ainda no local", acrescentou a fonte.

A central médica de Benghazi indicou na sua página oficial da rede social Facebook que registou dois cadáveres e 20 feridos.

Um outro hospital de Al Jalaa, referiu no Facebook ter recebido três mortos e tratado 10 feridos.

A Líbia está mergulhada no caos desde a queda do Presidente Muammar Kadhafi em 2011 e duas autoridades políticas, uma em Trípoli e outra no leste do país, esta reconhecida pela comunidade internacional.

Lusa

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida