sicnot

Perfil

Mundo

Carta-aberta de personalidades cabo-verdianas exige "liberdade imediata" para ativistas angolanos

Personalidades ligadas à cultura e ao ativismo social em Cabo Verde exigem, em carta aberta ao Presidente angolano, a "libertação imediata" dos ativistas detidos desde junho em Angola, acusados de conspirar para destituir o regime.

A carta divulgada na rede social Facebook na página "Liberdade aos Presos Políticos em Angola" é dirigida ao Presidente José Eduardo dos Santos e evoca o respeito pelos direitos humanos e a relação histórica entre os dois países.

"Tal como no passado aquando do encarceramento de então jovens angolanos anticolonialistas no Campo de Concentração do Tarrafal (Cabo Verde), na sequência dos acontecimentos de 4 de fevereiro de 1961, nós, os signatários da presente carta, imbuídos do espírito humanista e em respeito da relação histórica entre Cabo Verde e Angola, exigimos a libertação imediata dos 15 jovens políticos angolanos", refere o texto da carta.

"Fazemos esta exigência em nome dos valores universais da liberdade, justiça e da solidariedade, no respeito pela defesa dos direitos humanos e a favor de uma Angola livre, de paz e inclusiva", prossegue o texto.

A carta foi assinada por duas dezenas de personalidades ligadas à cultura e ao ativismo social em Cabo Verde.

O artista plástico Tchalé Figueira, o encenador João Branco, a musicóloga Lúcia Cardoso, o rapper Hélio Batalha, o sindicalista Maky Silva e o movimento #mac114- mobilização de ação cívica são alguns dos signatários do texto.

Os 15 ativistas, entre os quais se conta o luso-angolano Luaty Beirão, em greve de fome há 36 dias, foram detidos a 20 de junho durante uma reunião semanal.

Outros dois jovens foram detidos dias depois e permanecem também em prisão preventiva.

Foram todos acusados da coautoria material de um crime de atos preparatórios para uma rebelião e para um atentado contra o Presidente de Angola.

Segundo a acusação, reuniam-se aos sábados para discutir as estratégias e ensinamentos da obra "Ferramentas para destruir o ditador e evitar uma nova ditadura, filosofia da libertação para Angola", do professor universitário Domingos da Cruz - um dos arguidos detidos -, adaptado do livro "From Dictatorship to Democracy", do norte-americano Gene Sharp.

  • Aluno abre fogo em escola brasileira, pelo menos dois mortos

    Mundo

    Um aluno de 14 anos disparou vários tiros esta sexta-feira numa escola particular, em Goiânia, no Brasil. De acordo com o Globo, dois estudantes morreram e outros quatro ficaram feridos com gravidade. O aluno do 8.º ano foi detido pelas autoridades.

  • Um morto e sete feridos em ataque com faca na Polónia

    Mundo

    Um homem atacou esta sexta-feira várias pessoas com uma faca, num centro comercial em Stalowa Wola, na Polónia. Segundo as autoridades, uma pessoa morreram e sete ficaram feridas. O atacante foi preso pela polícia, depois de ser detido por alguns cidadãos que estavam no centro comercial.

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão