sicnot

Perfil

Mundo

Forte sismo sacode Ásia, mais de 60 mortos

Pelo menos 60 pessoas morreram e há mais de 150 feridos na sequência de um forte sismo hoje sentido no Afeganistão, Paquistão e norte da Índia. O balanço das vítimas tem sido constantemente atualizado. O instituto sismológico norte-americano, reviu a magnitude para 7,5 na escala de Richter.

Pessoas na rua após o abalo de hoje, em Srinigar, Índia.

Pessoas na rua após o abalo de hoje, em Srinigar, Índia.

© Danish Ismail / Reuters

O epicentro do sismo foi registado a 256km a nordeste de Cabul, a capital afegã

O epicentro do sismo foi registado a 256km a nordeste de Cabul, a capital afegã

O norte-americano USGS tinha inicialmente reportado uma magnitude de 7,7. O abalo foi registado às 13:39 locais (9:09 em Lisboa) com epicentro a 196 quilómetros de profundidade no nordeste do Afeganistão, numa área remota das montanhas Hindu Kush, uma cordilheira no Afeganistão e Paquistão Ocidental.

De acordo com a France Press, há 45 mortos confirmados no Paquistão, segundo o último balanço das autoridades. Na cidade de Peshawar, pelo menos 100 pessoas ficaram feridas, na sequência do desabamento de um edifício.

No Afeganistão, fonte do hospital de Nangahar relata a existência de cinco mortos e 55 feridos, segundo a Reuters. Na cidade de Taloqanwhile, 12 crianças morreram numa debandada, quando tentavam sair da escola.

As agência notíciosas adiantam que o sismo fez sair para a rua as populações de várias cidades do Paquistão e do norte da Índia, incluindo Nova Deli, onde os edifícios foram sacudidos pelo tremor de terra durante mais de um minuto. Na capital indiana, a circulação do metro foi interrompida temporariamente.

Em Cabul, a capital do Afeganistão, não há eletricidade em algumas áreas da cidade.

Na zona de Lahore, no Paquistão, as linhas telefónicas estão desligadas.

  • Mais de 160 mortos após sismo na Ásia
    2:03

    Mundo

    O número de mortos do violento sismo de 7,5 que sacudiu hoje o sul da Ásia não para de aumentar. As autoridades adiantam mais de 160 mortos no Paquistão e no Afeganistão. O abalo foi sentido também na Índia.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Repórteres fazem relato impressionante dos acontecimentos em Charlottesville
    3:40