sicnot

Perfil

Mundo

Ministro do Interior de Cuba demite-se por motivos de saúde

O ministro do Interior de Cuba, o general Abelardo Colomé, demitiu-se por motivos de saúde, ao fim de 26 anos no cargo e depois de ter sido um dos fundadores dos serviços de informação do país, anunciou o governo.

© POOL New / Reuters

O Conselho de Estado, órgão supremo do executivo cubano, "decidiu aceitar a demissão apresentada pelo general Abelardo Colomé Ibarra, herói da República de Cuba, da sua condição de membro do Conselho de Estado e da sua função de ministro do Interior, bem como a sua inscrição no serviço militar de reserva", indica um comunicado oficial lido na televisão na noite de segunda-feira.

"Quando sentiu que a sua saúde limitava o cumprimento das suas importantes responsabilidades, ele não hesitou em demitir-se, demonstrando a sua confiança no futuro da revolução cubana e do socialismo", acrescenta a mesma nota.

A possibilidade de Colomé, de 76 anos, um dos colaboradores mais próximos do Presidente Raúl Castro, se retirar por motivos de saúde vinha a ser avançada há vários meses.

Para o substituir, o Conselho de Estado nomeou o general Carlos Fernández Gondín, de 77 anos, que era até á data vice-ministro do Interior.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50