sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Norte continua a violar sistematicamente os direitos humanos

O Relator Especial da ONU para a Coreia do Norte afirmou hoje que o regime de Kim Jong-un viola de forma "sistemática e generalizada" os direitos humanos, no que classificou de crimes contra a humanidade e o direito internacional.

© KCNA KCNA / Reuters

"Estou a lamentar profundamente a situação dos direitos humanos na Coreia do Norte, que permanece a mesma de uma forma geral, apesar das grandes preocupações que têm sido reiteradas pela comunidade internacional", afirmou Marzuki Darusman, Relator Especial sobre a Situação dos Direitos Humanos na República Popular Democrática da Coreia.

Darusman fez as afirmações a jornalistas na véspera de intervir perante a Assembleia-geral na quinta-feira.

Neste que será o quinto relatório a ser entregue num 'briefing' na Assembleia-geral, o relator, de nacionalidade indonésia instará a comunidade internacional a acompanhar mais de perto a situação de direitos humanos na Coreia do Norte.

O novo relatório faz luz a um assunto alarmante em que cidadãos norte-coreanos estão a ser enviados para fora do país para realizar trabalhos forçados, como forma de arrecadar divisas para o país.

Darusman expressou a sua preocupação quanto aos maus tratamentos destes trabalhadores em outras partes do mundo, incluindo Médio Oriente e Rússia, e admitiu, em declarações à Lusa, que Angola e Nigéria são alguns dos países em que norte-coreanos são enviados pelo governo.

"Mais da metade de seus salários é entregue ao governo. Este tema emergiu recentemente, mas já está a ocorrer a alguns anos", disse.

O número de trabalhadores fora no exterior tem aumentado, mas são ainda muito imprecisos, admitiu ainda à Lusa.

"A Coreia do Norte vive uma situação financeira muito apertada em que 70% da sua economia está nas mãos estrangeiras, especialmente, da China. Ao mesmo tempo que o país está a crescer, ele está a colapsar. É o paradoxo e o contraste que existe na Coreia do Norte", explicou.

Estima-se que cerca de 50 mil trabalhadores estejam no exterior em condições precárias, em setores de mineração, extração de madeira, indústria têxtil e construção civil.

A grande maioria está empregada na China e na Rússia, mas África tem sido destino para muitos norte-coreanos como Angola, Guiné Equatorial, Argélia, Etiópia, Nigéria e Líbia.

As jornadas de trabalho são extenuantes podendo chegar a 20 horas por dia com apenas um ou dois dias de descanso por mês. Os trabalhadores são ainda ameaçados e pressionados para cumprirem metas de produção.

"Continuamos a receber um grande número de relatos e informações acerca das condições precárias e dos desafios que vive a população norte-coreana no seu dia-a-dia", destacou.

Darusman se referiu à discriminação social do 'songbun', um sistema baseado na lealdade ao regime.

O relator da ONU manifestou também preocupação em relação à ampla prática de detenções arbitrárias, tratamento desumano em grande escala de prisioneiros, além da prática da tortura e prisões políticas.

Estima-se que existam entre 80.000 e 120.000 presos políticos em cinco campos. "Até agora as condições dos direitos humanos prevalecem e são preocupantes", destacou, instando o governo norte-coreano a eliminar as violações de direitos humanos.

Darusman disse esperar que haja um envolvimento maior com o governo para evitar que tais violações persistam.

"Estou convencido que o Conselho de Segurança deveria transmitir esta situação da Coreia do Norte ao Tribunal Penal Internacional (TPI) a fim de levar à justiça os responsáveis pela negação e violação maciça dos direitos humanos, incluindo os nomes de mais alto nível de tomada de decisão no país", reforçou.

Em dezembro de 2014, o Conselho de Direitos Humanos e a Assembleia Geral adotaram resoluções defendendo que o Conselho de Segurança referisse o assunto ao TPI.

Contudo, a China pode impedir qualquer tentativa neste sentido, pois além de manter relações próximas com o governo norte-coreano, detém o poder de veto no Conselho de Segurança.

"As condições dos direitos humanos são um assunto de segurança internacional. Esperamos que o CS coloque este assunto na sua agenda e que a China tenha uma posição construtiva para lidar com este assunto", concluiu.

Lusa

  • Reencontro de famílias coreanas
    1:35

    Mundo

    Cerca de 400 sul-coreanos atravessam hoje a fronteira com a Coreia do Norte para se encontrarem com familiares que não vêem desde a Guerra que separou a Península, há 60 anos. Entre hoje e sábado estão agendados dois encontros.

  • Maratona da democracia em Barcelona
    1:18

    New Articles

    Na Catalunha, milhares de pessoas alimentam o braço de ferro com Madrid. Em Barcelona decorre a maratona pela democracia decorre na Praça da Universidade. A iniciativa repete-se noutros 300 municípios da região.

  • Primeiro-ministro admite que retatório sobre Tancos possa ser "fabricado"
    2:06

    País

    O primeiro-ministro garante que o relatório divulgado pelo expresso sobre o desaparecimento de armas em Tancos não é de nenhum organismo oficial e admite até que possa ser fabricado. Costa critica ainda o líder do PSD por comentado uma notícia que não confirmou. As Forças Armadas também negaram a existência de qualquer relatório sobre Tancos que o Expresso reafirma existir e ser verdadeiro.

  • Primeiro-ministro admite que retatório sobre Tancos possa ser "fabricado"
    2:06

    País

    O primeiro-ministro garante que o relatório divulgado pelo expresso sobre o desaparecimento de armas em Tancos não é de nenhum organismo oficial e admite até que possa ser fabricado. Costa critica ainda o líder do PSD por comentado uma notícia que não confirmou. As Forças Armadas também negaram a existência de qualquer relatório sobre Tancos que o Expresso reafirma existir e ser verdadeiro.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.