sicnot

Perfil

Mundo

Dirigível militar provocou o caos em Baltimore, nos EUA

Dirigível militar provocou o caos em Baltimore, nos EUA

Um dirigível militar provocou o caos, esta quarta-feira, na cidade norte-americana de Baltimore. O aparelho do departamento norte-americano de defesa soltou-se por volta do meio dia, hora local.

Esteve durante várias horas literalmente a flutuar nos céus, sem que ninguém conseguisse pará-lo. O dirigível, de 74 metros de comprimento, estava equipado com instrumentos de vigilância e radar e chegou a atingir uma altitude de quase cinco quilómetros.

A situação ameaçou o tráfego aéreo na região: arrancou cabos de eletricidade, provocou diversos incêndios e deixou cerca de 21 mil pessoas sem luz. As autoridades decidiram enviar dois caças F-16 para monitorizar o percurso.

Aos poucos, o dirigível foi esvaziando e perdendo altura. Acabou por cair num bosque na Pensilvânia. As causas para o que aconteceu ainda não são conhecidas.

  • Sismo registado esta manhã na região de Lisboa

    País

    Um sismo foi sentido esta manhã na região da Grande Lisboa. O abalo foi registado às 7h44, com epicentro em Sobral de Monte Agraço e magnitude de 4.3, informa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

    Em atualização

  • GNR resgata 45 sírios no mar Egeu
    2:28

    Crise Migratória na Europa

    A Guarda Nacional Republicana já resgatou quase 300 migrantes no mar Egeu, ao largo da Grécia, desde o início de maio. Esta quarta-feira de madrugada, os militares salvaram 45 sírios que tentavam chegar à Grécia numa embarcação de borracha.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.