sicnot

Perfil

Mundo

EUA aprovam primeiro tratamento para cancro da pele com recurso a vírus

A autoridade norte-americana para os medicamentos, a Food and Drug Administration (FDA), aprovou um tratamento para cancro da pele com recurso a vírus. Trata-se de uma estirpe geneticamente modificada do vírus do herpes. Mata as células cancerígenas e ajuda o sistema imunitário a combater os tumores. A investigação, a cargo do Institute of Cancer Research e da Royal Marsden NHS Foundation Trust, em Inglaterra, que envolveu cientistas de todo o mundo.

© Mark Baker / Reuters

Chama-se "T-VEC" e é uma estirpe modificada do vírus do Herpes tipo 1.

Consegue multiplicar-se no interior das células cancerígenas e de fazê-las "rebentar" a partir do interior. Mas não é só: tem ainda a capacidade de "recrutar" o sistema imunitário para atacar e destruir tumores.

De acordo com os investigadores, este tratamento tem menos efeitos secundários que a quimioterapia convencional e funciona em melanomas em estado avançado e inoperável.

A equipa do Institute of Cancer Research e da Royal Marsden NHS Foundation Trust, em Inglaterra, estudou 436 pacientes com melanoma maligno agressivo e inoperável. No ensaio clínico, foram divididos de forma aleatória. Uma parte recebeu uma injeção da nova terapia viral. Os outros foram tratados com imunoterapia convencional.

Mais de 16% dos pacientes que receberam injeções de "T-VEC" apresentaram uma resposta duradoura ao tratamento ao longo de mais de seis meses. Alguns dos participantes chegaram a entrar em remissão, ao fim de três anos de tratamento.

Neste estudo a equipa revela que a terapia aumentou, também, em cerca de metade, o tempo médio de sobrevivência dos pacientes, de 21,5 para 41 meses.

Mostrou ainda ser eficaz em casos em que o melanoma estava menos avançado ou em que os pacientes ainda não tinham recebido tratamento.

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.