sicnot

Perfil

Mundo

Maior produtor mundial de carne de porco considera relatório da OMS inumano

A empresa chinesa Shuanghui, a maior produtora de carne de porco do mundo, considerou "inumano" o relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) segundo o qual a carne processada é cancerígena para os seres humanos.

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

"O relatório diz ter sido publicado para bem da saúde humana, mas na realidade é inumano", assinalou o subdiretor de 'marketing' da empresa, Liu Jintao, assegurando que "o processamento de carne é parte da civilização e não deve ser destruído com a etiqueta 'cancerígeno'".

A classificação feita pela Agência Internacional para a Investigação sobre o Cancro (IARC, na sigla em inglês) é "profundamente lamentável", acrescentou Liu, citado pelo jornal oficial China Daily.

O relatório refere que a ingestão diária de 50 gramas de carne processada - menos de duas fatias de bacon - aumenta em 18% a probabilidade de desenvolver cancro colorretal (também conhecido como cancro do intestino).

Segundo o mesmo documento da agência da Organização Mundial de Saúde, conhecido esta semana, a carne vermelha também é "provavelmente" cancerígena.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras