sicnot

Perfil

Mundo

Médicos sem Fronteiras exigem explicações à Arábia Saudita por ataque a hospital no Iémen

Os Médicos sem fronteiras (MSF) pediram esta quinta-feira explicações à coligação árabe conduzida pela Arábia Saudita no Iémen, sobre o bombardeamento de um hospital da ONG ocorrido na segunda-feira em Haydan, norte do país.

Esta foi a segunda vez em um mês que um edifício onde atuam os MSF foi atingido. (Arquivo)

Esta foi a segunda vez em um mês que um edifício onde atuam os MSF foi atingido. (Arquivo)

© Muhammad Hamed / Reuters

"O hospital foi atingido por ataques da coligação, para nós não existe qualquer dúvida", declarou Isabelle Defourny, diretora das operações dos MSF durante uma conferência em Paris.

"O que pedimos é que a coligação reconheça que este bombardeamento ocorreu, nos explique o que se passou, e se comprometa em facilitar o envio de ajuda humanitária", sublinhou Defourny.

"O bombardeamento teve lugar na segunda-feira, 26 de outubro, entre as 22:30 e as 23:30", assinalou Laurent Sury, responsável pelas urgências nos MSF, precisando que entre "cinco e seis ataques" destruíram a estrutura por completo.

"Felizmente não houve vítimas", afirmou, pelo facto de o hospital não ter admitido doentes nesse dia, e pelo pessoal ter escapado a tempo.

Na quarta-feira a Arábia Saudita negou qualquer envolvimento da coligação militar árabe que combate as forças xiitas 'huthis' no bombardeamento deste centro de cuidados médicos situado na região de Saada, bastião dos rebeldes.

"Os aviões da coligação árabe não atacaram o hospital", afirmou em comunicado a missão da Arábia Saudita nas Nações Unidas.

"Houve declarações contraditórias do embaixador saudita na ONU", retorquiu o presidente do MSF França, Mégo Terzian.

"Primeiro anunciou que o ataque foi provavelmente um erro e que os MSF deram coordenadas GPS inexatas. E em 29 de outubro [hoje] o mesmo embaixador nega qualquer ataque aéreo na região de Saada", prosseguiu, antes de admitir "decisões radicais como deixar de estar de certas zonas ou mesmo no país".

Esta foi a segunda vez em um mês que um edifício onde atuam os MSF foi atingido. Em 3 de outubro, pelo menos 30 pessoas foram mortas no bombardeamento pela aviação dos Estados Unidos de um hospital dos MSF em Kunduz, no Afeganistão.

Lusa

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Brasil já tirou o "pé do chão"
    1:59

    Mundo

    Já começaram os desfiles e festas de carnaval, no Rio de Janeiro.Esta sexta feira foi o início oficial das celebrações com centenas de milhar de pessoas nas ruas até de madrugada.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato. 

  • Atores de Hollywood contra Trump
    1:44

    Mundo

    Centenas de pessoas juntaram-se em mais um protesto contra o presidente dos Estados Unidos. A manifestação, em Beverly Hills, juntou várias estrelas de Hollywood.