sicnot

Perfil

Mundo

Mulher do bloguer saudita Badawi afirma que prémio Sakharov é "mensagem de esperança"

A mulher do "blogger" saudita Raif Badawi afirmou hoje que o Prémio Sakharov dos Direitos Humanos, atribuído pelo Parlamento Europeu (PE) ao marido, constitui uma "mensagem de esperança e de coragem".

© Chris Wattie / Reuters

"Agradeço ao Parlamento Europeu. Estou muito satisfeita com o prémio", disse Ensaf Haidas à agência France Presse, em nome do marido, que foi condenado a mil chibatadas e cumpre uma pena de 10 anos de prisão por, no blogue, segundo a acusação, ter insultado o Islão ao defender o diálogo político na Arábia Saudita.

Badawi partilhou a lista de finalistas ao Prémio Sakharov com a oposição democrática na Venezuela e o opositor russo Boris Nemtsov, a título póstumo.

O prémio, que celebra a liberdade de pensamento, será entregue em Estrasburgo no dia 16 de dezembro.

O Prémio Sakharov, no valor de 50 mil euros, foi entregue, em 2014 ao ginecologista congolês Denis Mukwege, especializado no tratamento de mulheres vítimas de violência em África.

Nelson Mandela e o dissidente soviético Anatoly Marchenko (a título póstumo) foram os primeiros galardoados, em 1988.

Em 1999, o galardão foi entregue a Xanana Gusmão (Timor-Leste) e, em 2001, ao bispo Zacarias Kamwenho (Angola).

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.