sicnot

Perfil

Mundo

Presidente do PE apela à libertação do bloguer saudita vencedor de Prémio Sakharov

O presidente do Parlamento Europeu (PE), Martin Schulz, apelou ao rei da Arábia Saudita para libertar o bloguer Raif Badawi, vencedor do Prémio Sakharov 2015.

© Eric Vidal / Reuters

"Badawi é um homem muito corajoso, exemplar, a meu ver. Foi alvo de uma das maiores torturas. Já solicitei ao rei da Arábia Saudita a sua libertação imediata", disse Schulz, ao anunciar a decisão da Conferência de Presidentes do PE, em plenário.

Martin Schulz relembrou que as relações da União Europeia com países terceiros dependem do respeito pelos direitos humanos.

"Esta é uma violação patente dos direitos humanos, que foram claramente espezinhados", salientou Sculz, apelando à Arábia Saudita que liberte Raif Badawi, para que possa estar em Estrasburgo em dezembro para receber o prémio.

Raif Badawi foi condenado a 10 anos de prisão, a 1.000 chibatadas e a uma multa pesada por ter criado um website para o debate social e político, "Free Saudi Liberals", considerado ofensivo para o Islão.

As primeiras 50 chibatadas foram infligidas em janeiro deste ano, tendo as restantes sido adiadas devido a protestos internacionais.

O ativista está atualmente a cumprir a pena na Arábia Saudita.

Badawi foi hoje galardoado, pela Conferência de Presidentes do PE, com o Prémio Sakharov para a liberdade de pensamento, que será entregue em Estrasburgo no dia 16 de dezembro.

O Prémio Sakharov, no valor de 50 mil euros, foi entregue em 2014 ao ginecologista congolês Denis Mukwege, especializado no tratamento de mulheres vítimas de violência em África.

Nelson Mandela e o dissidente soviético Anatoly Marchenko (a título póstumo) foram os primeiros galardoados, em 1988.

Em 1999, o galardão foi entregue a Xanana Gusmão (Timor-Leste) e, em 2001, ao bispo Zacarias Kamwenho (Angola). Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.