sicnot

Perfil

Mundo

Repórteres Sem Fronteiras pedem libertação do vencedor do Prémio Sakharov

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) pediu hoje ao rei da Arábia Saudita, Salman bin Abdelaziz, que indulte o 'bloguer' saudita Raif Badawi, que venceu hoje o prémio Sakharov, condenado a 10 anos de prisão e 1.000 chibatadas.

© Edgard Garrido / Reuters

Badawi, fundador do fórum na internet Rede Liberal Saudita, foi condenado em setembro de 2014 por "insultar o Islão" e criticar a "polícia da moral" saudita no seu blogue.

O ativista foi já castigado com 50 chibatadas em janeiro, tendo as restantes sido adiadas.

Em junho, o Tribunal Supremo saudita confirmou a condenação do 'bloguer', apesar dos apelos de solidariedade e apoio internacional sobre o caso.

"O reino saudita não tolera nenhum meio de comunicação livre e a repressão digital tem vindo a aumentar desde a primavera árabe de 2011", afirmou a RSF num comunicado.

Badawi partilhou a lista de finalistas ao Prémio Sakharov com a oposição democrática na Venezuela e o opositor russo Boris Nemtsov, a título póstumo.

O prémio, que celebra a liberdade de pensamento, será entregue em Estrasburgo no dia 16 de dezembro.

O Prémio Sakharov, no valor de 50 mil euros, foi entregue em 2014 ao ginecologista congolês Denis Mukwege, especializado no tratamento de mulheres vítimas de violência em África.

Nelson Mandela e o dissidente soviético Anatoly Marchenko (a título póstumo) foram os primeiros galardoados, em 1988.

Em 1999, o galardão foi entregue a Xanana Gusmão (Timor-Leste) e, em 2001, ao bispo Zacarias Kamwenho (Angola).

Lusa

  • Novas regras para os pagamentos em dinheiro vivo

    Economia

    Os pagamentos em dinheiro acima de 3.000 euros são proibidos a partir de quarta-feira, mas aos não residentes são permitidos pagamentos até 10 mil euros, ou o equivalente em moeda estrangeira, segundo um diploma hoje publicado.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.