sicnot

Perfil

Mundo

Venezuela decreta aumento de 30% para docentes devido a alta inflação

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, decretou, esta quarta-feira, um aumento salarial de 30% para os professores do setor público com o objetivo de proteger os rendimentos dos docentes face a uma inflação que ronda os 85%.

(arquivo)

(arquivo)

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

"Decidi que todo o quadro de professores do setor educativo recebem um aumento de 30% adicional para o final do ano", disse, durante uma cerimónia pública, indicando que a atualização visa proteger os trabalhadores de uma inflação que ronda, segundo dados oficiais, 85%.

Maduro considera que este índice elevado é consequência da "guerra económica" da oposição com o fim de desestabilizar o seu governo.

"Há que proteger o rendimento dos trabalhadores face à guerra económica, e agora a decisão não é apenas proteger e perseguir a guerra económica, é ir à frente da guerra económica e da inflação induzida", disse.

O chefe de Estado venezuelano decretou, no dia 15, um aumento do ordenado mínimo de 30% e ajuste na mesma medida em todas as tabelas e escalões da administração pública.

Com o novo aumento (o quarto em 2015), que produz efeitos em novembro, o salário mínimo dos venezuelanos sobe de 7.421,66 para 9.649 bolívares (de 1.033 para 1343,49 euros).

Os venezuelanos queixam-se com frequência dos altos preços dos produtos, num país onde um café custa 70 bolívares (9,74 euros) e um quilograma de carne de vaca ronda os 1.500 bolívares (208,85 euros) à taxa de referência oficial de 6,30 bolívares por cada dólar norte-americano, usada para a importação de produtos prioritários.

No início do mês, o Centro de Documentação e Análise Social (Cendas) da Federação Venezuelana de Professores divulgou um relatório em que assinalou que uma família de cinco membros precisa de dez salários mínimos para adquirir o "cabaz de produtos básicos".

Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI) e a Comissão Económica para a América Latina e Caraíbas (Cepal) a inflação anual na Venezuela deverá ser superior a 180%.

Lusa

  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28
  • Euforia e preocupação no Santiago de Bernabéu
    3:02
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49