sicnot

Perfil

Mundo

China adverte EUA para conflito caso mantenha incursões às ilhas Spratly

O chefe da Marinha da China advertiu o homólogo norte-americano que se Washington continuar a enviar navios militares para as águas do Mar do Sul da China poder-se-á gerar "um incidente menor" capaz de provocar uma "guerra".

© China Daily China Daily Infor

Os almirantes Wu Shengli e John Richardson falaram, esta noite, através de videoconferência, tendo discutido a presença, na passada terça-feira, do contratorpedeiro USS Lassen em águas próximas do recife Subim nas disputadas ilhas Spratly, cuja soberania é reclamada (e exercida) por Pequim.

"Se os Estados Unidos continuarem com este tipo de atos perigosos e provocativos poder-se verificar uma situação premente entre as forças de primeira de mar e ar de ambos os lados, ou inclusive um incidente menor que provoque uma guerra", advertiu Wu Shengli durante a conversa, segundo indica um comunicado divulgado hoje pela Marinha da China.

O mesmo responsável sublinhou que espera que os Estados Unidos tenham em linha de conta a "situação positiva" atual entre as Marinhas dos dois países, "que não se alcançou facilmente", e que, portanto, "evite que este tipo de incidente se repita", refere a nota oficial.

Wu Shengli transmitiu a John Richardson a "profunda preocupação" causada em Pequim pela presença do navio militar, e de aviões de escolta, no perímetro de doze milhas náuticas de distância das ilhas artificiais construídas por Pequim no arquipélago das Spratly.

A zona de 12 milhas marítimas (22 quilómetros) é reconhecida internacionalmente como a área em que qualquer Estado costeiro pode aplicar a sua soberania, quer no ar quer no mar.

A conversa entre os dois tinha sido revelada anteriormente por uma fonte da Marinha norte-americana, sob a condição de anonimato, mas o conteúdo da conversa não tinha sido divulgado.

Essa fonte, citada pela AFP, referiu até que o chefe das forças dos EUA no Pacífico, o almirante Harry Harris, vai visitar a China, numa deslocação "planeada há bastante tempo", mas sem adiantar detalhes sobre a data, duração ou programa da visita.

"Foi profissional e produtiva", disse, por outro lado, o tenente Tim Hawkins, um porta-voz da Marinha dos EUA, igualmente sem especificar o conteúdo da conversa.

Pequim tem aumentado, nos últimos anos, a sua presença nas Spratly, um arquipélago rico em recursos marinhos e energéticos, reclamado total ou parcialmente, além da China, pelas Filipinas, Brunei, Malásia, Vietname e Taiwan.

Lusa

  • Santana Lopes confirma buscas na Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
    1:26

    País

    Pedro Santana Lopes confirmou esta quarta-feira a realização de buscas por parte da polícia judiária à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. O provedor da Santa Casa disse aos jornalistas que o processo está relacionado com suspeitas em compras efetuadas pela Misericórdia, situação que há dois anos já tinha sido objeto de inquérito interno.

  • Oposição aproveita debate quinzenal para questões sobre a CGD
    2:35

    Caso CGD

    A oposição aproveitou o debate quinzenal para questionar o primeiro-ministro sobre a polémica em torno da Caixa Geral de Depósitos. O CDS exigiu provas de António Costa para afirmar que as contas do banco foram maquilhadas e o PSD perguntou ao primeiro-ministro se não estranha a demissão de António Domingues quando este apresentou a declaração de rendimentos.

  • Turismo da Madeira investe mais de 3 milhões de euros no programa de festas
    2:22

    País

    A Madeira já vive a época de Natal. O turismo da região investiu mais de 3 milhões de euros no programa de festas de Natal e Fim de Ano para atrair os turistas. Os residentes e também turistas aproveitam para desfrutar do ambiente mágico proporcionado pelas tradicionais iluminações à mistura com as decorações e gastronomia típicas da quadra.

  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.