sicnot

Perfil

Mundo

Asteroide de grandes proporções aproxima-se da Terra

Um asteroide de grandes proporções está a aproximar-se da Terra. A rocha, que deve ter cerca de 400 metros de diâmetro, desloca-se a 126 mil quilómetros por hora.

De acordo com os astrónomos, que só a descobriram este mês, atingirá o ponto mais próximo do planeta quando às 13:00 (hora de Lisboa) de amanhã.

De acordo com os astrónomos, que só a descobriram este mês, atingirá o ponto mais próximo do planeta quando às 13:00 (hora de Lisboa) de amanhã.

De acordo com os astrónomos, que só a descobriram este mês, atingirá o ponto mais próximo do planeta quando às 13:00 (hora de Lisboa) de amanhã.

Ficará, contudo, a uma distância de perto de 480 mil quilómetros, ou seja, relativamente perto a uma escala cósmica, mas ainda assim mais longe do que a própria lua.

O corpo celeste foi descoberto a 10 de outubro por um telescópio no Havai, Estados Unidos, e desde então os cientistas têm realizado cálculos para precisar a sua órbita.

Os cientistas da NASA afirmaram que a influência gravitacional do asteroide não terá nenhum efeito na Terra, nomeadamente nas marés e movimentos das placas tectónicas.

A passagem do asteróide 2015 TB145 vai ser um dos melhores momentos dos últimos anos para os cientistas recolherem uma série de dados relevantes e monotorizar uma rocha espacial.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • Manifestações de apoio aos pais de Alfie impedidos de o levar para Itália
    3:03

    Mundo

    A justiça britânica rejeitou um novo recurso dos pais do bebé Alfie, que está em estado semivegetativo. O objetivo era levar o menino para Itália, para ser assistido numa unidade pediátrica no Vaticano. Os pais não querem que as máquinas sejam desligadas, mas os médicos defendem que os tratamentos são inúteis.