sicnot

Perfil

Mundo

Sobe para 27 número de mortos em incêndio em discoteca de Bucareste

Pelo menos 27 pessoas morreram e mais de 160 ficaram feridas, esta sexta-feira, num incêndio que deflagrou no interior de uma discoteca no centro de Bucareste, segundo o mais recente balanço das autoridades romenas.

© Inquam Photos / Reuters

O fogo no "Club Colectiv", no centro da capital romena, teve início perto das 23:00 (21:00 em Lisboa), numa altura em que aproximadamente 200 pessoas se encontravam no interior do espaço noturno para assistir à promoção do novo álbum do grupo de rock local "Goodbye to Gravity", acompanhado por um espetáculo de luz com efeitos pirotécnicos.

Testemunhas citadas pelos 'media' locais indicaram que uma explosão desencadeou um violento incêndio, causando o pânico entre a multidão.

O ministro do Interior romeno, Gabriel Oprea, indicou que foi convocada uma reunião do comité de emergência nacional e foi decretado, pelas autoridades locais, o chamado "alerta vermelho" de emergência civil, por envolver múltiplas vítimas, que mobilizaram cerca de seis dezenas de ambulâncias do serviço de urgência e aproximadamente dez unidades de bombeiros.

O Presidente da Roménia, Klaus Johannis, afirmou estar "chocado" com o incidente, manifestando a sua "profunda dor" devido à tragédia.

"É um momento muito triste para o nosso país", escreveu na sua página no Facebook, expressando a sua "solidariedade e compaixão" para com os familiares das vítimas.

O Ministério do Interior indicou que o incêndio causou 27 mortes, adiantando que os mais de 160 feridos estavam a receber tratamento em vários hospitais na capital daquele país dos Balcãs, o segundo mais pobre da União Europeia.

Alguns dos feridos têm queimaduras em 70% do corpo, enquanto outros sofreram intoxicação por monóxido de carbono.

Na sequência da tragédia, o ministro da Saúde, Nicolae Banicioiu, lançou um apelo aos cidadãos de Bucareste, cidade de três milhões de habitantes, para que dêem sangue.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite