sicnot

Perfil

Mundo

Molécula que impede declínio cognitivo em ratos será usada em humanos em 2016

A molécula "ORY-2001", cujos resultados têm demonstrado capacidade de impedimento do declínio cognitivo e perda de memória em ratos com envelhecimento acelerado, deverá ser usada em ensaios clínicos em humanos em 2016, anunciou hoje a biofarmacêutica catalã Oryzon Genomics.

© Reuters Photographer / Reuter

O anúncio sobre a eficácia pré-clínica desta molécula será feito por Tamara Maes, diretora científica da Oryzon Genomics, no decurso da 8.ª reunião anual de ensaios clínicos sobre a doença de Alzheimer (CTAD, sigla em inglês), que vai decorrer em Barcelona, na próxima sexta-feira.

A molécula "Ory-2001", um medicamento para o tratamento da disfunção cognitiva em outras doenças neuro-degenerativas, como Parkinson e Alzheimer ou demências, foi desenvolvida pela própria biofarmacêutica catalã, fundada em Barcelona em 2000 e que se dedica ao desenvolvimento de terapias epigenéticas em oncologia e doenças neuro-degenerativas.

A empresa Oryzon Genomics anunciou hoje que estima que esta molécula, que impede o declínio cognitivo e perda de memória em ratos com envelhecimento acelerado, possa entrar na fase clínica no início de 2016.

De acordo com a responsável pela empresa da Catalunha, a droga tem um "um excelente perfil farmacológico e tem sido administrado a animais por via oral por longos períodos sem problemas de segurança".

Citada pela Agência EFE, Tamara Maes manifestou a sua satisfação pelo facto de "os dados obtidos em estudos pré-clínicos validarem o enorme potencial desta molécula para tratar a disfunção cognitiva resultante de doenças neuro-degenerativas".

Mais de 800 investigadores internacionais vão assistir à conferência, a qual equipas de cientistas de todo o mundo com estudos clínicos vão apresentar resultados de pesquisas de identificação de novos biomarcadores e ferramentas mais sensíveis para identificar pessoas em risco de desenvolver a doença e avaliar a eficácia de novos tratamentos.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.