sicnot

Perfil

Mundo

Hungria rejeita competência legal da Comissão Europeia sobre quotas

O parlamento húngaro aprovou hoje uma resolução que defende que a Comissão Europeia não tem competência legal para impor um sistema de quotas obrigatórias para acolhimento de refugiados nos países da União Europeia.

© Leonhard Foeger / Reuters

A Hungria é um dos países da Europa central e de leste que se tem oposto ao sistema de distribuição dos refugiados que fogem de países em conflito na Ásia e no Médio Oriente.

De acordo com a resolução, seria "introduzido um procedimento automático, sem consultar os países membros afetados", que impediria a participação ativa dos Estados.

"A Comissão Europeia não justifica de forma adequada que a eventual aplicação do sistema de quotas teria como resultado um procedimento mais eficaz", defende.

O parlamento húngaro recorda que os países membros podem enviar até ao próximo dia 09 as suas considerações sobre o sistema e que a legislação comunitária permite que sejam revistos os casos relacionados com a subsidiariedade.

Este princípio estabelece que a União Europeia (UE) apenas pode intervir quando a sua atuação seja mais eficaz que a dos Estados-membros ou, inclusivamente, das autoridades locais.

Quer a Hungria quer a Eslováquia anunciaram que vão tomar medidas legais para impedir que o sistema de quotas entre em vigor.

Este ano, já passaram pela Hungria cerca de 390 mil refugiados, que se dirigem aos países mais ricos da EU, mas as chegadas praticamente pararam nas últimas semanas, depois de Budapeste ter colocado vedações nas fronteiras com a Sérvia e a Croácia.

Lusa

  • Os apelos de Marcelo para a reforma do Estado
    1:36

    País

    O Presidente da República lamentou este sábado que o consenso para uma reforma do Estado seja um sonho adiado. No enceramento do congresso "Portugal no Futuro", Marcelo Rebelo de Sousa apelou a entendimentos em áreas estratégicas e defendeu que é preciso passar as palavras à ação, o quanto antes.

    Débora Henriques

  • Tragédia de Vila Nova da Rainha foi há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52