sicnot

Perfil

Mundo

Hungria rejeita competência legal da Comissão Europeia sobre quotas

O parlamento húngaro aprovou hoje uma resolução que defende que a Comissão Europeia não tem competência legal para impor um sistema de quotas obrigatórias para acolhimento de refugiados nos países da União Europeia.

© Leonhard Foeger / Reuters

A Hungria é um dos países da Europa central e de leste que se tem oposto ao sistema de distribuição dos refugiados que fogem de países em conflito na Ásia e no Médio Oriente.

De acordo com a resolução, seria "introduzido um procedimento automático, sem consultar os países membros afetados", que impediria a participação ativa dos Estados.

"A Comissão Europeia não justifica de forma adequada que a eventual aplicação do sistema de quotas teria como resultado um procedimento mais eficaz", defende.

O parlamento húngaro recorda que os países membros podem enviar até ao próximo dia 09 as suas considerações sobre o sistema e que a legislação comunitária permite que sejam revistos os casos relacionados com a subsidiariedade.

Este princípio estabelece que a União Europeia (UE) apenas pode intervir quando a sua atuação seja mais eficaz que a dos Estados-membros ou, inclusivamente, das autoridades locais.

Quer a Hungria quer a Eslováquia anunciaram que vão tomar medidas legais para impedir que o sistema de quotas entre em vigor.

Este ano, já passaram pela Hungria cerca de 390 mil refugiados, que se dirigem aos países mais ricos da EU, mas as chegadas praticamente pararam nas últimas semanas, depois de Budapeste ter colocado vedações nas fronteiras com a Sérvia e a Croácia.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.