sicnot

Perfil

Mundo

Afegã apedrejada até à morte por cometer adultério

Uma jovem afegã foi apedrejada até à morte por talibãs e chefes de guerra por tentar fugir com o seu amante, revelaram hoje as autoridades do Afeganistão.

Arquivo AP

Um vídeo do incidente, dado como verdadeiro pelo governo provincial, circula nas redes sociais e foi difundido na televisão.

O apedrejamento aconteceu "há cerca de uma semana", em Ghalim, uma zona montanhosa e desértica da província de Ghor, às mãos dos talibãs, disse à agência noticiosa AFP a governadora Sima Joyenda, que é uma das duas mulheres a governar as 34 províncias do Afeganistão.

No vídeo, vê-se uma jovem de pé, num buraco escavado no chão, apenas com a cabeça de fora, enquanto um homem vestido de preto pega numa pedra e atira na sua direção, seguindo-se o apedrjamento por outros três homens.

Um deles sugere à jovem que recite a "shahada", a profissão de fé muçulmana. A rapariga diz, então, com voz fraca: "Não há outro Deus além de Deus", declarações após as quais o vídeo termina.

Abdul Hai Katebi, porta-voz da governadora, assegurou à AFP que as imagens são autênticas.

A vítima "foi apedrejada até à morte por talibãs, por clérigos e chefes de guerra irresponsáveis", reagiu Sima Joyenda, indicando que a jovem tinha "entre 19 e 20 anos" e "foi casada com um homem contra a sua vontade".

"Tinha fugido com outro homem da sua idade", explicou.

A governandora condenou a morte e pediu ao Governo central de Cabul para que "liberte" esta zona do país do controlo dos talibãs.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.