sicnot

Perfil

Mundo

Executivos de construtora brasileira condenados a prisão no caso Petrobras

A Justiça Federal brasileira do Estado do Paraná condenou hoje executivos da construtora Mendes Júnior por crimes como branqueamento de capitais, associação criminosa e corrupção na petrolífera Petrobras.

© Sergio Moraes / Reuters

Entre os condenados está o herdeiro da empresa e ex-vice-presidente, Sérgio Cunha Mendes, a quem foi aplicada uma pena 19 anos e 4 meses de prisão, em regime fechado.

Esta foi a pena mais pesada aplicada a executivos acusados no âmbito do caso corrupção na Petrobras.

Mendes, que atualmente está em prisão domiciliária, ainda terá de pagar uma multa de 1,4 milhões de reais (339 mil euros). A empresa foi condenada a pagar multa de 31,5 milhões de reais (7,62 milhões de euros). Os condenados ainda poderão recorrer da decisão.

O processo contra a empresa foi instaurado após suspeitas de pagamento de subornos em contratos relativos a cinco obras feitas para a Petrobras.

Outros dois ex-diretores da construtora foram condenados, além de um operador do esquema de corrupção, do doleiro (que faz operações irregulares com a moeda norte americana) Alberto Yousseff e do ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa.

Costa e Yousseff ficaram com a pena suspensa porque possuem acordos de delação através dos quais a Justiça permite que informações possam ser trocadas por reduções de pena.

Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38