sicnot

Perfil

Mundo

Governo brasileiro admite dívida à banca de 57 mil milhões de reais

O governo da Presidente brasileira admitiu hoje ter uma dívida não registada de 57 mil milhões de reais (13,8 mil milhões de euros) à banca pública, mas garantiu que pretende pagá-la até ao final do ano.

© Lehtikuva Lehtikuva / Reuters

A admissão desta dívida está expressa na documentação que o governo de Dilma Rousseff enviou, como sua defesa, para o congresso, que em dezembro vai analisar e votar as contas públicas.

A oposição brasileira solicitou o início de um processo para destituir Dilma Rousseff por considerar que estas manobras, usadas para "maquilhar" o resultado orçamental, correspondem a um "delito de responsabilidade", que é uma das causas mencionadas na Constituição para a destituição de um Presidente.

O Tribunal de Contas já recusou as contas públicas apresentadas pelo executivo brasileiro e recomendou ao congresso que as reprovem, por entender que representam irregularidades "graves".

Este organismo de controlo estadual avançou que, em 2014, o governo brasileiro deixou de depositar na banca pública, usada como agente de pagamentos, parte dos montantes previstos para seguros de desemprego, subsídios para as famílias mais pobres e créditos para camponeses, entre outras obrigações.

Isto forçou os bancos a cobrir estes compromissos com os seus próprios recursos e causou uma dívida do Estado que, no final do 2014, atingia os 40 mil milhões de reais.

O governo continuou a faltar a estas obrigações durante 2015, o que elevou a dívida para com a banca ao montante hoje divulgado.

O ministro da Presidência, Jaques Wagner, garantiu que vai ser paga antes do final do ano.

As explicações do governo vão ser analisadas pelos deputados membros da comissão do Orçamento, a qual vai depois remeter um relatório à Câmara dos Deputados e ao Senado, que o vão votar em sessão conjunta, em princípio, no dia 17 de dezembro.

Lusa

  • Madrid suspende governo regional da Catalunha

    Mundo

    O chefe do Governo espanhol anunciou hoje que decidiu acionar o artigo 155º da Constituição espanhola e pedir ao Senado a suspensão das funções do governo regional da Catalunha. Em conferência de imprensa justificou a adoção das medidas dada a "desobediência rebelde, sistemática e consciente" do Governo regional (Generalitat).

    Em atualização

  • Manifestações contra os incêndios um pouco por todo o país
    1:33

    País

    Estão marcadas para esta tarde várias manifestações contra os incêndios e as políticas florestais, mas também de homenagem às vítimas dos fogos que arrasaram o país. As iniciativas de protesto são quase todas organizadas através das redes sociais e por grupos de cidadãos.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.