sicnot

Perfil

Mundo

Obama pode decidir encerrar prisão de Guantánamo

A Casa Branca admitiu hoje que o Presidente Barack Obama pode decidir, por sua livre iniciativa, encerrar a prisão de Guantánamo, em Cuba, antes do final do seu mandato, em janeiro de 2017, se o Congresso não colaborar.

(arquivo)

(arquivo)

© Jonathan Ernst / Reuters

"Neste momento, não descartaria nada", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, durante a conferência de imprensa diária.

Se o Congresso continuar a recusar colaborar para encerrar essa prisão, Earnest afirmou não descartar que Obama decida usar "todas as ferramentas" que a sua autoridade executiva lhe outorga.

O governo está a ultimar um plano para entregar ao Congresso em que detalha os passos necessários para libertar e transferir para países terceiros e para o território dos EUA os pouco mais de 100 reclusos que permanecem no centro de detenção.

O encerramento de Guantánamo é uma promessa de Obama que remonta à sua primeira campanha eleitoral, em 2008.

O Presidente porém confrontou-se desde o início com a oposição do Congresso, em particular dos republicanos, que recusam a transferência dos presos para prisões nos EUA.

Lusa

  • Marcelo não comenta proposta sobre nomeação do governador do BdP
    0:14

    Economia

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar a proposta do grupo de trabalho para a reforma da supervisão financeira, que recomenda que o governador do Banco de Portugal seja nomeado pelo Presidente da República. Marcelo não quis comentar o assunto esta quarta-feira durante a tomada de posse do Reitor da Universidade de Lisboa.

  • Habitantes da favela da Rocinha temem novo episódio violento
    2:54

    Mundo

    Localizada no Rio de Janeiro, a Rocinha, maior favela do Brasil, foi palco de um tiroteio entre traficantes, no último fim de semana. Agora, pelo terceiro dia consecutivo, a polícia do Rio de Janeiro está a fazer um cerco em algumas favelas cariocas à procura de traficantes. A comunidade está assustada e receia que episódios violentos como este se repitam.