sicnot

Perfil

Mundo

Quatro pessoas morreram ao largo da ilha de Lesbos

Quatro migrantes, dos quais dois eram crianças, morreram na terça-feira por afogamento depois de caírem de uma embarcação em dificuldade ao largo da ilha grega de Lesbos, no Mar Egeu, informou a polícia portuária da Grécia.

STRATIS BALASKAS

Os barcos patrulha da guarda costeira helénica e da agência de controlo de fronteiras europeia (Frontex) detetaram na água os corpos destas quatro pessoas, depois de terem salvado outras quatro, entre as quais uma criança.

As oito pessoas tinham sido dadas como desaparecidas e eram procuradas depois de uma operação de resgate de outras 42 pessoas que estavam a bordo. Estas foram transferidas para Mytilène, a principal localidade da ilha.

Segundo as suas declarações, a embarcação, de plástico, proveniente das costas turcas, estava em dificuldade e oito pessoas caíram à água.

Milhares de migrantes têm chegado, nos últimos meses, a Lesbos e a outras ilhas gregas no Mar Egeu.

Na semana passada mais de 80 pessoas morreram em naufrágios sucessivos no Mar Egeu, entre as quais numerosas crianças.

Em 28 de outubro, ao largo de Lesbos, o naufrágio de uma embarcação de madeira, que transportava mais de 300 pessoas, causou a morte a 29 pessoas, entre as quais 14 crianças, tendo sido salvas 274.

A Grécia é a principal porta de entrada dos migrantes na Europa. Mais de 218 mil migrantes e refugiados atravessaram o Mediterrâneo para chegarem à Europa em outubro, dos quais 210 mil entraram na Grécia, principalmente na ilha de Lesbos, segundo o Alto Comissariado das Nações Unias para os Refugiados.

Lusa

  • Vídeo mostra passagem da carrinha a alta velocidade nas Ramblas
    0:33

    Ataque em Barcelona

    O jornal espanhol El Pais divulgou hoje  as primeiras imagens da carrinha que matou 13 pessoas e feriu mais de 100 em Barcelona. O vídeo foi registado por  uma câmara de videovigilância de um museu nas Ramblas. Mostra pessoas a desviarem antes da passagem rápida da carrinha branca. Esta terá sido a parte final do percurso feito pelo veículo.

  • Castelo Branco aposta na cultura para preservar raízes e fomentar turismo
    5:26

    SIC 25 Anos

    Com perto de 200 mil habitantes, o distrito de Castelo Branco luta para criar projetos diferenciadores para atrair e ancorar a população. O desemprego tem vindo a baixar, numa região fortemente envelhecida. A capital do distrito aposta na cultura para preservar as raízes e fomentar o turismo, e a Universidade da Beira Interior tem cada vez mais alunos estrangeiros.