sicnot

Perfil

Mundo

Reino Unido teme que bomba tenha causado acidente do Sinai

O Governo britânico anunciou hoje a suspensão dos voos entre o Reino Unido e a estância balnear egípcia de Sharm el-Sheikh, por temer que uma bomba tenha causado o despenhamento do avião russo, no sábado, no Sinai.

© Peter Nicholls / Reuters

"Enquanto a investigação estiver em curso, não podemos dizer categoricamente porque é que o avião russo se despenhou, mas, à luz de novas informações, tememos que a queda do avião tenha sido provocada por um engenho explosivo", declarou uma porta-voz do primeiro-ministro britânico, David Cameron, sobre o acidente que fez 224 mortos, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.

"Em consequência disso, decidimos, como medida de precaução, suspender os voos entre Sharm el-Sheikh e o Reino Unido", acrescentou a porta-voz.

O anúncio surge quatro dias depois de um Airbus russo se ter despenhado no norte do Sinai, matando todas as pessoas a bordo, apenas 23 minutos depois de descolar de Sharm el-Sheikh.

Membros do grupo 'jihadista' Estado Islâmico têm insistido que foram eles os responsáveis pela queda do avião, mas não forneceram pormenores, semeando o ceticismo quanto à veracidade da sua reivindicação.

"Reconhecemos que esta informação poderá causar preocupação a quem está em Sharm el-Sheikh e àqueles que estão a planear viajar para Sharm nos próximos dias", admitiu o gabinete do primeiro-ministro em comunicado.

"Enviámos para Sharm pessoal consular adicional, que estará disponível no aeroporto, trabalhando com as companhias aéreas, para assistir os cidadãos britânicos ali de férias", lê-se no documento.

Especialistas da aviação britânica foram enviados para Sharm el-Sheikh para avaliar a situação da segurança, e estão a ser efetuados voos de regresso daquela estância ao Reino Unido até que essa avaliação seja concluída, como esperado, ainda hoje, segundo o comunicado.

Cameron vai também convocar para hoje ainda uma reunião de emergência do conselho de ministros sobre este assunto.

"Sublinhamos que se trata de uma medida preventiva e que estamos a trabalhar de perto com as companhias aéreas nesta abordagem", refere ainda o comunicado do primeiro-ministro britânico.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.