sicnot

Perfil

Mundo

Presidente egípcio recebido em Londres com manifestações pró e contra

A visita do Presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sissi, a Londres gerou hoje manifestações contra e a favor do regime egípcio, testemunhou a agência francesa AFP nas ruas da capital britânica.

O Presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sissi.

O Presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sissi.

© Amr Dalsh / Reuters

Segundo a AFP, cerca de 250 pessoas manifestaram-se hoje junto do número 10 de Downing Street (residência oficial e o escritório do primeiro-ministro do Reino Unido) para contestar a visita do Presidente egípcio à capital britânica, denunciando o clima de repressão que se vive no Egito e o golpe de Estado que colocou no poder o antigo chefe do exército egípcio.

No mesmo local, uma manifestação pró-Sissi reuniu cerca de 300 pessoas.

A polícia teve de intervir para conter as centenas de manifestantes que aguardavam a chegada de Abdel Fattah al-Sissi, que foi recebido em Downing Street pelo primeiro-ministro britânico, David Cameron.

"Sissi não é bem-vindo, não à repressão no Egito" era uma das frases exibidas nos cartazes erguidos pelos manifestantes do protesto contra Sissi.

Muitos dos manifestantes envergavam 't-shirts' e bandeiras que mostravam uma mão com quatro dedos, numa alusão ao massacre de manifestantes islamitas na praça Rabaa Al-Adawiya em 2013, pouco tempo depois do golpe de Estado do exército egípcio que derrubou o presidente Mohamed Morsi e colocou Abdel Fattah al-Sissi no poder.

"Ele tomou o poder com a espada e matou. O mundo inteiro tem de saber que ele é um assassino e que não merece ser Presidente", afirmou um homem identificado como Abu Hamza, de 55 anos.

"Não deveria almoçar com o primeiro-ministro, deveria estar na prisão", disse Anne Alexander, membro do movimento Iniciativa de Solidariedade Egito.

No mesmo local, vários manifestantes pró-Sissi exibiam cartazes com várias frases de apoio como "Bem-vindo Sissi, és o nosso Presidente".

Para Magdi Khalil, dono de um restaurante, "o Egito estava perdido".

"Íamos pelo mesmo caminho que a Síria e a Líbia. Sissi e os militares salvaram o país", reforçou o empresário de 50 anos.

"Os anti-Sissi são mentirosos e traidores (...) colocam bombas, atacam a polícia. Estou em Londres para fazer um tratamento depois de ter sido baleado numa perna. Eles estão a tentar destruir o país", acusou um manifestante pró-Sissi, em declarações à AFP, que preferiu não ser identificado.

Lusa

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.