sicnot

Perfil

Mundo

Rússia desvaloriza "especulações" sobre causas do acidente aéreo no Sinai

A Rússia desvalorizou hoje as "especulações" sobre a queda do avião russo no Sinai, depois de o Reino Unido e os Estados Unidos terem admitido que pode ter sido provocada pela explosão de uma bomba a bordo.

© Mohamed Abd El Ghany / Reuter

"Todas as versões sobre o que se passou e as razões pelas quais isto aconteceu devem ser apresentadas pelos investigadores e, até agora, não ouvimos nenhum anúncio dos investigadores", disse à imprensa o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

"Todas as outras explicações são informações não confirmadas ou especulações", acrescentou.

O porta-voz da presidência russa assegurou que Moscovo "não pode afastar nenhuma versão" sobre as causas do acidente, mas insistiu que não houve até ao momento nenhuma conclusão.

O Reino Unido e a Irlanda suspenderam temporariamente os voos de e para a estância turística egípcia de Sharm El-Sheikh, de onde partiu o avião acidentado no sábado.

Peskov afirmou que "voar ou não voar para algum local é um direito soberano" do Reino Unido, mas acrescentou que os aviões russos continuam a voar para aquela região.

Na terça-feira, num comunicado, o Governo britânico afirmou estar "preocupado porque o avião podem bem ter-se despenhado devido a um engenho explosivo". Um responsável dos Estados Unidos admitiu no mesmo dia que a explosão de uma bomba no aparelho é "um cenário altamente possível".

No Cairo, os investigadores já conseguiram extrair as informações de uma das caixas negras do Airbus A321 da companhia russa MetroJet, a caixa que contém os dados técnicos do voo.

A outra, que regista as conversas no 'cockpit', está bastante danificada e os investigadores admitem que seja mais difícil de analisar.

Num comunicado, o ministro da Aviação Civil do Egito afirmou hoje que os investigadores "ainda não têm provas ou dados que confirmem a hipótese" de a explosão de uma bomba ter causado o acidente, em que morreram todas as 224 pessoas a bordo.

"A hipótese de uma detonação no avião russo não é baseada em factos" e "o Egito quer que a investigação seja íntegra e minuciosa, para permitir estabelecer os factos aos olhos do mundo inteiro e preservar a segurança e a proteção da aviação civil", afirmou o ministro, Hossam Kamal.

O acidente aéreo foi reivindicado pelo ramo egípcio do grupo extremista Estado Islâmico, que remeteu pormenores para mais tarde e desafiou os investigadores a demonstrarem o que aconteceu.

Lusa

  • Pagaram 10 libras por diamante que vale milhares

    Mundo

    Há 30 anos um comprador adquiriu um anel de diamantes de 26.27 quilates por apenas 10 libras (cerda de 11 euros) numa feira em Isleworth, no oeste Londres. O proprietário passeou durante três décadas com uma peça que valia cerca de 350.000 libras (407.000€) e não sabia. Confessa que até a usava durante as tarefas domésticas.

    SIC

  • Leão-marinho arrasta criança de doca em Vancouver
    0:51

    Mundo

    O momento em que um leão-marinho arrasta uma menina para a água foi gravado e publicado na internet. Sem nada que fizesse prever, o animal puxou a criança que estava sentada numa doca em Vancouver, no Canadá. A criança foi resgatada de imediato por um familiar e apesar do susto não sofreu ferimentos. O momento de aflição foi testemunhado por vários turistas.

  • Caçador morre esmagado por elefante

    Mundo

    Um famoso caçador morreu na sexta-feira após ser esmagado por um elefante quando estava a caçar. A morte foi confirmada pelas autoridades do Zimbabué, que adiantaram ainda que o animal foi morto por um dos caçadores do grupo de Theunis Botha.