sicnot

Perfil

Mundo

Gás mostarda foi usado em agosto no norte da Síria, militantes acusam jihadistas

Militantes sírios acusaram hoje o grupo extremista Estado Islâmico de ter usado um gás letal no norte da Síria no verão passado, depois de a agência internacional de armas químicas ter confirmado o uso de gás mostarda.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Muzaffar Salman / Reuters

Peritos da Organização Internacional para a Proibição de Armas Químicas concluíram que foi utilizado gás mostarda a 21 de agosto em Marea, uma localidade síria próxima da fronteira com a Turquia, mas não atribuíram o ataque.

"Estabelecemos os factos mas não determinámos quem foi responsável", disse uma fonte da organização à agência France Presse.

O diretor do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, Rami Abdel Rahman, assegurou no entanto à France Presse que foi o Estado Islâmico o responsável pela utilização daquele gás em Marea.

A agência contactou igualmente um jornalista pró-rebeldes que estava em Marea na altura do ataque, Mamoun al-Khatib, segundo quem se tornou claro logo na altura que a responsabilidade era do grupo 'jihadista' porque "todos os projéteis eram disparados do leste de Marea e essa zona estava completamente nas mãos do Estado Islâmico".

O ataque ocorreu numa altura em que o Estado Islâmico tentava há meses tomar o controlo de Marea, considerado o principal ponto de concentração de rebeldes e de armas na província de Alepo (norte).

A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF), que na altura afirmou ter tratado quatro civis da mesma família com sintomas de exposição a agentes químicos, disse não estar em condições de identificar os responsáveis.

"A MSF não comenta porque não dispõe de provas absolutas da identidade dos autores", disse à France Presse uma porta-voz da organização, Yazan al-Saadi.

Quanto à origem do gás mostarda, o diretor do Observatório considerou que ele era proveniente "provavelmente da Turquia ou do Iraque".

Um militante da oposição ao regime sírio, Nazir al-Khatib, afirmou que ou o Estado Islâmico tem nas suas fileiras "peritos (formados durante o regime) de Saddam Hussein que o ajudou a obter esses produtos" químicos ou "obteve-os nos depósitos de armas do regime em Palmira", cidade do centro do país controlada pelos 'jihadistas'.

Depois de um ataque com agentes químicos que matou centenas de pessoas numa região a leste de Damasco em agosto de 2013, o regime sírio aceitou destruiu todo o seu arsenal químico ao abrigo do acordo assinado entre os Estados Unidos e a Rússia em setembro de 2013 para evitar bombardeamentos aéreos por países ocidentais.

Lusa

  • Gás mostarda utilizado em combates na Síria

    Mundo

    Especialistas em armas químicas concluíram que foi utilizado gás mostarda em combates entre grupos rebeldes na Síria em agosto, indicaram hoje fontes da Organização para a Proibição das Armas Químicas (OIAC).

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC