sicnot

Perfil

Mundo

Polícia chinesa detém sete pessoas que planeavam atentados

A polícia deteve no sul da China sete pessoas suspeitas de planearem atentados à bomba na província de Cantão, informou hoje a agência oficial Xinhua.

© Tyrone Siu / Reuters

Segundo as autoridades, o grupo era liderado por um ex-condenado, Xiang Fengxuan, de 41 anos, dono de uma lavandaria, que através das redes sociais recrutou outras pessoas com o fim de levar a cabo atos de sabotagem.

Xiang, seguido pela polícia desde março, atraia os seus seguidores com o argumento de que pretendia derrubar o sistema político atual através de uma rebelião armada, e prometia aos que o seguissem cargos importantes quando se tornasse "presidente".

Um dos contactados por Xiang, Ma Ji, de 65 anos, disse à Xinhua que o suspeito dizia ser um descendente da dinastia Qing (deposta pela revolução de 1911) que "sentia nostalgia do passado imperial, em que os homens tinham várias esposas e amantes".

O grupo planeava vários atentados com engenhos explosivos e sequestro de magnatas para poder cobrar resgates e assim financiar as suas atividades.

Um dos cúmplices do grupo, Zhang Liumao, encarregado dos explosivos, armazenou grandes quantidades de materiais químicos numa fábrica, os quais seriam usados na preparação dos engenhos para levar a cabo os atentados, de acordo com a polícia.

Zhang morreu na quarta-feira passada de cancro, alegadamente devido à prolongada exposição aos químicos.

Lusa

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05