sicnot

Perfil

Mundo

Rússia sem plano de evacução para 80 mil turistas russos no Egito

Quase 80 mil turistas russos encontram-se no Egito, mas não há qualquer plano de evacuação de emergência podendo os mesmos regressarem a casa quando quiserem, disse fonte oficial, citada pela agência France Presse.

© Sergei Karpukhin / Reuters

"Cerca de 80 mil turistas estão no Egito. Não haverá evacuação", afirmou a porta-voz da união da indústria de turismo da Rússia, Irina Tyurina, após uma reunião governamental.

Aviões vazios estão a ser enviados para o Egito para transportar turistas russos para o seu país, mas os mesmos poderão regressar de acordo com o seu próprio ritmo.

A Rússia suspendeu os voos para o Egito na sexta-feira, numa altura em que aumentam os receios sobre um eventual atentado contra o avião que se despenhou na semana passada.

Entretanto, o ministro dos Negócios Estrangeiro egípcio já disse hoje que não afasta possíveis cenários para a queda do avião, mas sublinhou que a investigação ainda não produziu "uma hipótese" sobre o desastre do avião da companhia russa Metrojet que causou 224 mortos a 31 de outubro.

Em conferência de imprensa, Sameh Shoukry acrescentou que ainda que as informações que têm levado os países a implementar restrições de vôo para o Egito "não foram fornecidas até agora aos serviços de segurança egípcios".

Lusa

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.