sicnot

Perfil

Mundo

Rússia sem plano de evacução para 80 mil turistas russos no Egito

Quase 80 mil turistas russos encontram-se no Egito, mas não há qualquer plano de evacuação de emergência podendo os mesmos regressarem a casa quando quiserem, disse fonte oficial, citada pela agência France Presse.

© Sergei Karpukhin / Reuters

"Cerca de 80 mil turistas estão no Egito. Não haverá evacuação", afirmou a porta-voz da união da indústria de turismo da Rússia, Irina Tyurina, após uma reunião governamental.

Aviões vazios estão a ser enviados para o Egito para transportar turistas russos para o seu país, mas os mesmos poderão regressar de acordo com o seu próprio ritmo.

A Rússia suspendeu os voos para o Egito na sexta-feira, numa altura em que aumentam os receios sobre um eventual atentado contra o avião que se despenhou na semana passada.

Entretanto, o ministro dos Negócios Estrangeiro egípcio já disse hoje que não afasta possíveis cenários para a queda do avião, mas sublinhou que a investigação ainda não produziu "uma hipótese" sobre o desastre do avião da companhia russa Metrojet que causou 224 mortos a 31 de outubro.

Em conferência de imprensa, Sameh Shoukry acrescentou que ainda que as informações que têm levado os países a implementar restrições de vôo para o Egito "não foram fornecidas até agora aos serviços de segurança egípcios".

Lusa

  • O último adeus às vítimas da tragédia de Vila Nova da Rainha
    1:37

    País

    As cerimónias fúnebres das oito vítimas mortais do incêndio na Associação de Vila Nova da Rainha realizaram-se esta terça-feira. Três delas ocorreram em simultâneo na povoação do concelho de Tondela que, no passado sábado, viu a tragédia bater-lhe à porta.

  • Fóssil humano mais antigo encontrado em Portugal entregue ao Museu de Arqueologia
    3:42

    País

    O mais antigo fóssil humano até hoje encontrado em Portugal, o "Crânio da Aroeira", foi entregue no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa. Em 2014, o fóssil foi encontrado pela equipa do arqueólogo João Zilhão perto de Torres Novas e foi restaurado e estudado na Universidade Complutense de Madrid, durante dois anos e meio.

  • De "lambe rabos" a "labrego", a polémica entre Rodolfo Reis e Bruno de Carvalho
    1:30
  • O Futuro Hoje na maior feira eletrónica de consumo do mundo
    5:14