sicnot

Perfil

Mundo

Detido artista russo Pavlenski por atear fogo em entrada do Serviço de Segurança

O polémico artista russo Piotr Pavlenski, famoso pelas suas performances de protesto contra o poder, foi detido hoje de madrugada, em Moscovo, por atear um fogo na entrada da sede do Serviço Federal de Segurança (FSB, antigo KGB).

Arquivo Reuters

Segundo alguns órgãos de comunicação social russos e jornalistas independentes, por volta das 02:00 (23:00 de domingo em Lisboa), o artista aproximou-se da entrada principal da imponente sede do FSB, na central Praça Lubianka, polvilhou a porta com uma substância que transportava numa garrafa e ateou-lhe fogo com um isqueiro.

O artista foi detido quase imediatamente por vários polícias e levado para uma esquadra, mas ainda teve tempo de se fotografar diante da porta em chamas, como se vê numa imagem publicada na rede social Twitter.

Piotr Pavlenski estava acompanhado por dois jornalistas da cadeia de televisão independente Dozhd, os quais também foram detidos, embora libertados mais tarde após declarados como testemunhas.

Segundo indicaram à emissora Eco de Moscovo, dirigiram-se para o local depois de terem sido avisados que Pavlenski ia fazer uma das suas ações, mas não sabiam do que se tratava, nem participaram.

A porta do FSB sofreu danos e ficou parcialmente queimada na parte inferior, segundo revela a mesma fotografia.

A imagem do controverso pintor e artista deu a volta ao mundo quando há dois anos, quando se despiu e cravou os seus testículos com um martelo entre os paralelepípedos da Praça Vermelha em Moscovo, num protesto que coincidiu com a celebração na Rússia do Dia da Polícia.

Essa não foi a primeira vez que o artista de São Petersburgo, a segunda maior cidade da Rússia, provocou danos em si próprio para expressar o seu protesto contra o Governo do Presidente russo, Vladimir Putin.

Antes, apareceu completamente nu e enrolou-se em arame farpado frente ao parlamento de São Petersburgo, num movimento a que chamou de "Corpo" e que, em sua opinião, simbolizava "a existência humana num ambiente de repressão legal, quando o menor movimento provoca uma duríssima reação do sistema, que se crava no corpo do indivíduo".

Também chegou a costurar a sua boca numa ação de apoio ao grupo de 'punk' feminino Pussy Riot, cujas artistas cumpriram penas de prisão por cantarem contra Putin, no principal templo da Igreja Ortodoxa Russa em Moscovo.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.