sicnot

Perfil

Mundo

Dezasseis polícias feridos em confrontos com migrantes perto do porto de Calais

Dezasseis polícias ficaram feridos durante a noite em confrontos ocorridos com migrantes num acampamento localizado nas proximidades do porto da cidade francesa de Calais, anunciou a autarquia.

(Arquivo)

(Arquivo)

Emilio Morenatti/ AP

"Por volta das 23:00 horas (22:00 horas em Lisboa) de domingo, vários grupos de migrantes, perto de 200, tentaram atrasar e bloquear o tráfico numa via da região portuária de Calais", disse o porta-voz da autarquia da cidade francesa, onde se localiza o canal rodoviário e ferroviário da Mancha, que liga o país à Inglaterra.

De acordo com o porta-voz, "os migrantes (...) atiraram vários objetos sobre o acesso viário", e os polícias tiveram de usar gás lacrimogéneo para os repelir.

A calma regressou por volta da meia-noite (em Lisboa), indicou a autarquia.

As pedras lançadas pelos migrantes provocaram ferimentos ligeiros em polícias no local.

Segundo uma fonte policial, as forças de segurança utilizaram cerca de 300 granadas de gás lacrimogéneo.

"Estamos preocupados, se algum dia acontecer uma revolta no campo, vai ser a loucura", afirmou Gilles Debove, responsável local de um sindicato da polícia, assinalando que esta foi a primeira vez que ocorreu violência contra a polícia.

Cerca de seis mil migrantes -- que vêm essencialmente da África Oriental, Médio Oriente e Afeganistão - estão amontoados em condições muito precárias numa espécie de bairro da lata situado a uma hora a pé do centro de Calais.

Os migrantes têm a esperança de entrar clandestinamente na Inglaterra, mas o acesso ao túnel que atravessa o canal da Mancha tornou-se extremamente difícil, depois de ter sido reforçada a segurança no local.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.