sicnot

Perfil

Mundo

Justiça belga ordena ao Facebook que pare de seguir internautas sem permissão

A justiça belga ordenou hoje à rede social Facebook para parar, dentro de 48 horas, de seguir os internautas sem o consentimento destes, sob pena de multa de 250.000 euros por dia.

© Rick Wilking / Reuters

A decisão, tomada pelo juiz do tribunal de primeira instância de Bruxelas, aplica-se aos internautas que não são membros da rede social norte-americana e que, ao contrário daqueles que criaram uma conta no Facebook, não autorizaram o Facebook a explorar os seus dados pessoais.

O tribunal tomou esta decisão em resposta a uma queixa apresentada pela Comissão de Proteção da Vida Privada (CPVP) belga.

O juiz "ordenou à rede social Facebook de pare de localizar e registar a utilização da internet por pessoas que naveguem na Bélgica, nas 48 horas após a comunicação desta decisão" às partes, indicou o tribunal em comunicado.

"Se o Facebook ignorar esta ordem, deverá pagar uma multa de 250.000 por 24 horas à CPVP", acrescenta o comunicado.

O juiz belga contesta a utilização pela rede social de "cookies" (micro-ficheiros que registam os dados e seguem os hábitos dos internautas).

"O Facebook coloca 'cookies' que retêm que um internauta visitou uma página do Facebook, por exemplo a de um amigo, mas também que ele visitou a página de uma loja, de um partido político, de um grupo de apoio ou de uma outra associação", prossegue o texto.

O tribunal explica ainda que dessa forma, a rede social "conserva 'cookies' sobre os eventuais interesses e preferências dos internautas" e que "tais 'cookies' continuam a existir durante dois anos, durante os quais o Facebook pode consultá-los de cada vez que um internauta chega a uma página do Facebook ou à página de um site onde possa fazer 'like' ou recomendar [o conteúdo] a outros utilizadores do Facebook".

"O juiz considerou que se trata de dados pessoais, que o Facebook pode apenas utilizar se o internauta der expressamente o seu consentimento, como prevê a lei belga de proteção da vida privada", segundo a mesma fonte.

"Se o internauta tem uma conta no Facebook, pode-se partir do princípio de que ele deu o seu consentimento, mas se o internauta não tem uma conta pessoal no Facebook, então o Facebook deve, no futuro, pedir expressamente o seu acordo e também fornecer as explicações necessárias", precisou o tribunal.

Lusa

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.