sicnot

Perfil

Mundo

Novo recorde em 2014 do nível de concentração de gases com efeito de estufa

O nível de concentração de gases com efeito de estufa na atmosferra atingiu um novo recorde em 2014, revela o relatório anual da agência da ONU para o clima.

© Hazir Reka / Reuters

A progressão destes gases que alimentam as alterações climáticas "é alarmante" e tornará a Terra cada vez mais perigosa, alerta a Organização Meteorológica Mundial (WMO, na sigla em inglês).

"Todos os anos damos conta de um novo recorde nas concentrações de gás com efeito de estufa", lamentou o diretor da OMM, Michel Jarraud.

"A cada ano dizemos que não temos mais tempo, devemos agir AGORA para reduzir as emissões de gás e para que tenhamos uma oportunidade de manter num nível razoável a subida das temperaturas", sublinhou no relatório.

O relatório - que não mede as emissões de gás com efeito de estufa, mas a sua concentração na atmosfera - mostra que o CO2 (dióxido de carbono, o principal gás com efeito de estufa de longa duração) aumentou para 397,7 partes por milhão (ppm) na atmosfera o ano passado.

"Não podemos ver o CO2, é uma ameaça invisível, mas uma ameaça muito real", sublinhou Jarraud. "Isto significa temperaturas globais mais elevadas, mais fenómenos meteorológicos extremos, como vagas de calor, inundações, derretimento do gelo e aumento do nível do mar e da sua acidez".

O relatório da agência da ONU é divulgado a três semanas da Cimeira do Clima de Paris (COP21), que visa a tomada de medidas significativas para limitar o fenómeno do aquecimento global.

O metano, o segundo gás com efeito de estufa de longa duração, também atingiu um novo recorde de concentração, 1.833 ppm em 2014, segundo o relatório.

A OMM indica que, com 60 por cento das emissões de metano provocadas pela atividade humana, nomeadamente pecuária, cultivo de arroz, exploração de combustíveis fósseis, se registou um aumento de 254% das concentrações na atmosfera deste gás desde os níveis da era pré-industrial.

O protóxido de azoto, cujo impacto no clima num período de 100 anos é 298 vezes mais importante que o CO2 e que também contribui para a destruição da camada de ozono que nos protege da nocividade dos raios ultravioleta emitidos pelo sol, registou o ano passado uma concentração de 327,1 partes por mil milhões, ou 121% dos seus níveis antes da era industrial.

Com Lusa

  • Reclusos que fugiram de Caxias tiveram cúmplices
    1:59

    País

    Uma falha de Portugal poderá explicar a libertação de um dos dois chilenos que fugiram de Caxias e foram apanhados em Espanha. As autoridades portuguesas atrasaram-se a enviar o mandado de detenção e a polícia espanhola libertou o fugitivo. Na investigação da fuga, acredita-se que os 3 reclusos tiveram cúmplices e a namorada de um deles já foi interrogada.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.