sicnot

Perfil

Mundo

Descobertas "anomalias térmicas" nas Pirâmides do Egito

Uma equipa internacional de arquitetos e cientistas detetou "anomalias térmicas" nas Pirâmides do Egito. As causas, dizem, podem ser áreas ocas dentro das pirâmides, correntes de ar ou o uso de materiais de construção diferentes.

reuters

reuters

reuters

A equipa conjunta - Egito, Canadá, França e Japão - utilizou termografia com infravermelhos para analisar as pirâmides ao nascer e ao pôr do sol, quando as estruturas de pedra aquecem e arrefecem.

Em comunicado, o Governo do Egito informou que os investigadores "concluíram que há várias anomalias térmicas detetadas em todos os monumentos em fases de aquecimento e de arrefecimento".

Várias causas poderão explicar estas anomalias, acrescenta, tais como espaços internos vazios ou correntes de ar.

Uma das mais "impressionantes" anomalias foi detetada na Grande Pirâmide, ou Pirâmide de Khufu ou Queops. A estrutura vai ser objeto de uma maior investigação, que deverá durar até ao final de 2016.

  • Souto de Moura feliz com distinção na Bienal de Arquitetura de Veneza
    1:10
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos. Depois de um curso intensivo de português durante três meses, os jovens vão iniciar o ano letivo em vários pontos do país.