sicnot

Perfil

Mundo

Eslovénia erguerá barreiras na fronteira croata para refugiados

A Eslovénia decidiu instalar "barreiras técnicas temporárias" na sua fronteira com a Croácia, em resposta à incessante chegada de refugiados do Médio Oriente, anunciou hoje o primeiro-ministro, precisando que a medida não implica um encerramento fronteiriço.

© Srdjan Zivulovic / Reuters

O chefe do executivo esloveno, Miro Cerar, não afastou inclusive a hipótese de construir uma vedação para poder controlar melhor o fluxo migratório que atravessa os Balcãs, partindo de países do Médio Oriente, em direção à Europa Ocidental, noticiou a agência STA.

"A fronteira continuará aberta, mas controlada", declarou Cerar.

"Como ser humano, é-me difícil decidir a instalação dessas barreiras técnicas: de nenhuma forma quero uma Europa com fronteiras fechadas, mas, como primeiro-ministro, tenho de assumir a responsabilidade, para assegurar um afluxo controlado de refugiados, impedir uma catástrofe humanitária e garantir a segurança", explicou.

O responsável justificou a medida com o incumprimento dos acordos da União Europeia para regular e controlar a entrada de refugiados.

"Os acordos alcançados na cimeira de Bruxelas não estão a ser cumpridos, o número de refugiados não está a diminuir", observou Cerar, após uma reunião do Governo em que foram debatidas as novas medidas para proteger a fronteira.

A reunião governamental foi convocada devido à notícia de que cerca de 30.000 refugiados estão a passar pela Grécia para percorrer a rota que passa pela Macedónia, Sérvia, Croácia e Eslovénia, em direção à Áustria e à Alemanha.

"A emigração é demasiado maciça para um país de dois milhões de habitantes", argumentou.

Nos últimos dias, a entrada de refugiados diminuiu em comparação com a média das semanas anteriores. Na segunda-feira, contabilizaram-se 5.300 entradas na Eslovénia.

A ministra do Interior, Vesna Györkös Znidar, explicou, por sua vez, que a função das barreiras será "assegurar uma afluência controlada dos emigrantes e a segurança".

"Espero que a União Europeia faça todos os esforços possíveis para a proteção da zona de Schengen", declarou.

Lusa

  • Lei existe há quatro anos mas não tem regulamentação
    2:03
  • Denúncia de maus tratos a cães no canil municipal de Elvas
    2:24

    País

    O Grupo de Intervenção e Resgate Animal denunciou nas redes sociais alegados maus tratos a animais no canil municipal de Elvas. As imagens mostram uma cadela com uma corda ao pescoço. A autarquia abriu um inquérito para averiguar o caso, suspendendo também o trabalho dos voluntários no canil.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Ovibeja aposta este ano na internacionalização da agricultura
    2:07

    País

    A Ovibeja começou esta quinta-feira e este ano aposta na internacionalização dos produtos agrícolas do Alentejo. Centenas de expositores esgotam o certame, que é uma monstra da agricultura portuguesa. António Costa, na sexta-feira, e Marcelo Rebelo de Sousa, no sábado, são alguns dos políticos com a presença marcada em Beja.

  • Estados Unidos vão reforçar as sanções à Coreia do Norte
    1:31

    Mundo

    Washington pretende também investir nos esforços diplomáticos para que Pyongyang ponha fim aos programas nucleares e de mísseis. A nova estratégia de Donald Trump foi anunciada quarta-feira à noite. A força aérea norte-americana testou esta quarta-feira um míssil de longo-alcance que percorreu 6800 quilómetros sobre o Pacífico a partir de uma base na Califórnia.

  • Le Pen vai à pesca
    0:35

    Eleições França 2017

    Marine Le Pen, candida à presidência de França fez esta quinta-feira uma "pausa" na campanha eleitoral e aproveitou para ir à pesca. A candidata navegou num barco de pesca no Mediterrâneo.