sicnot

Perfil

Mundo

Eslovénia erguerá barreiras na fronteira croata para refugiados

A Eslovénia decidiu instalar "barreiras técnicas temporárias" na sua fronteira com a Croácia, em resposta à incessante chegada de refugiados do Médio Oriente, anunciou hoje o primeiro-ministro, precisando que a medida não implica um encerramento fronteiriço.

© Srdjan Zivulovic / Reuters

O chefe do executivo esloveno, Miro Cerar, não afastou inclusive a hipótese de construir uma vedação para poder controlar melhor o fluxo migratório que atravessa os Balcãs, partindo de países do Médio Oriente, em direção à Europa Ocidental, noticiou a agência STA.

"A fronteira continuará aberta, mas controlada", declarou Cerar.

"Como ser humano, é-me difícil decidir a instalação dessas barreiras técnicas: de nenhuma forma quero uma Europa com fronteiras fechadas, mas, como primeiro-ministro, tenho de assumir a responsabilidade, para assegurar um afluxo controlado de refugiados, impedir uma catástrofe humanitária e garantir a segurança", explicou.

O responsável justificou a medida com o incumprimento dos acordos da União Europeia para regular e controlar a entrada de refugiados.

"Os acordos alcançados na cimeira de Bruxelas não estão a ser cumpridos, o número de refugiados não está a diminuir", observou Cerar, após uma reunião do Governo em que foram debatidas as novas medidas para proteger a fronteira.

A reunião governamental foi convocada devido à notícia de que cerca de 30.000 refugiados estão a passar pela Grécia para percorrer a rota que passa pela Macedónia, Sérvia, Croácia e Eslovénia, em direção à Áustria e à Alemanha.

"A emigração é demasiado maciça para um país de dois milhões de habitantes", argumentou.

Nos últimos dias, a entrada de refugiados diminuiu em comparação com a média das semanas anteriores. Na segunda-feira, contabilizaram-se 5.300 entradas na Eslovénia.

A ministra do Interior, Vesna Györkös Znidar, explicou, por sua vez, que a função das barreiras será "assegurar uma afluência controlada dos emigrantes e a segurança".

"Espero que a União Europeia faça todos os esforços possíveis para a proteção da zona de Schengen", declarou.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.