sicnot

Perfil

Mundo

Israel diz ter desmantelado extensa rede ligada ao Hamas na Cisjordânia

Os organismos de segurança de Israel desmantelaram hoje uma extensa rede ligada ao movimento islamita palestiniano Hamas, na cidade de Qalqilia, na Cisjordânia, que planeava levar a cabo "atos terroristas", numa operação que deteve 24 presumíveis membros.

© Ammar Awad / Reuters

Em comunicado, o exército israelita informa que, em conjunto com o Serviço de Inteligência Interno e com a Polícia, localizou dois cabecilhas da organização, que controlavam a atividade a partir dos seus quartéis-generais nessa zona, a partir de onde planeavam perpetrar ataques.

A rede seria dirigida, guiada e financiada por membros do gabinete geral do Hamas no Qatar e em Gaza, refere a mesmo nota, que revela ainda que foram detidas 24 pessoas supostamente ligadas ao grupo.

Entre eles incluem-se destacadas figuras do movimento islamita que foram anteriormente presas pela sua participação e planeamento em "atividade terrorista do Hamas", diz o exército.

Durante a operação foram apreendidos 35.000 shekels (8.300 euros)

As Forças Armadas israelitas sublinham que a infraestrutura do Hamas em Qalqilia é uma das mais antigas e enraizadas de toda a Cisjordânia.

Lusa

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.