sicnot

Perfil

Mundo

Mudanças de humor podem ser sinal de demência

É o que nos diz um estudo realizado pela Universidade College London, no Reino Unido que envolveu familiares e amigos de pacientes com demência frontotemporal. As descobertas foram agora publicadas na revista científica Journal of Alzheimer's Disease.

© Yannis Behrakis / Reuters

Amigos e familiares de 48 pacientes com demência frontotemporal foram chamados a responder a um inquérito. Pediram para avaliar o gosto dos pacientes, antes de ser diagnosticada a doença, por diferentes tipos de comédia.

De acordo com o jornal britânico "The Telegraph" grande parte dos familiares e amigos confessou ter notado mudanças repentinas de humor, cerca de nove anos antes da demência ser diagnosticada, e também um sentido de humor inapropriado, ou humor negro, caracterizado por rir inadequadamente em eventos trágicos.

Apesar destes resultados, publidados no Journal of Alzheimer’s Disease, os investigadores defendem há ainda muito trabalho pela frente e que é preciso entender de que forma estas mudanças de humor podem encaradas como um sinal de demência.

Simon Ridley, da Alzheimer's Research UK, uma Organização Não Governamental de prevenção e combate ao Alzheimer, recomenda que se procure apoio médico, aos primeiros sinais de mudança de humor repentina.

"Enquanto a perda de memória é a primeira coisa que vem à cabeça quando falamos de demência, esse estudo destaca a importância de olhar para outros sintomas que tem impacto no dia-a-dia e nos relacionamentos dos pacientes", explicou. "Um entendimento mais aprofundado de todos os sintomas de demência aumentará a capacidade de fazer um diagnóstico mais adequado e preciso", disse ao The Telegraph.

O estudo foi realizado pela Universidade College London, no Reino Unido.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".