sicnot

Perfil

Mundo

Turquia rejeita críticas da UE sobre respeito do Estado de direito e imprensa

A Turquia rejeitou as críticas feitas hoje pela União Europeia sobre o respeito do Estado de direito e da liberdade de imprensa no seu relatório anual sobre o estado da candidatura de Ancara a uma adesão à UE.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Murad Sezer / Reuters

As críticas são "injustas e mesmo desproporcionadas", reagiu o Ministério dos Assuntos Europeus turco num comunicado, classificando de "inaceitáveis" os comentários sobre os poderes do presidente islamo-conservador Recep Tayyip Erdogan.

A UE criticou hoje uma "tendência negativa" para o Estado de direito na Turquia e "graves retrocessos" na liberdade de expressão, numa altura em que o bloco europeu negoceia com Ancara a melhoria da cooperação relativamente à crise migratória.

"Após vários anos de progresso da liberdade de expressão, foram observados graves retrocessos nos dois últimos anos", lamenta o executivo comunitário, que saúda, por outro lado, o esforço que representa o acolhimento de dois milhões de refugiados sírios e iraquianos na Turquia.

O ministério turco sublinhou que o governo, que gere o país há 12 anos, fez aprovar nos últimos anos várias reformas para reforçar um poder judicial "independente e objetivo" e a liberdade de expressão em geral.

No comunicado, o ministério afirmou igualmente ter em conta "críticas justas e razoáveis" apresentadas no relatório da Comissão Europeia.

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.