sicnot

Perfil

Mundo

Turquia rejeita críticas da UE sobre respeito do Estado de direito e imprensa

A Turquia rejeitou as críticas feitas hoje pela União Europeia sobre o respeito do Estado de direito e da liberdade de imprensa no seu relatório anual sobre o estado da candidatura de Ancara a uma adesão à UE.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Murad Sezer / Reuters

As críticas são "injustas e mesmo desproporcionadas", reagiu o Ministério dos Assuntos Europeus turco num comunicado, classificando de "inaceitáveis" os comentários sobre os poderes do presidente islamo-conservador Recep Tayyip Erdogan.

A UE criticou hoje uma "tendência negativa" para o Estado de direito na Turquia e "graves retrocessos" na liberdade de expressão, numa altura em que o bloco europeu negoceia com Ancara a melhoria da cooperação relativamente à crise migratória.

"Após vários anos de progresso da liberdade de expressão, foram observados graves retrocessos nos dois últimos anos", lamenta o executivo comunitário, que saúda, por outro lado, o esforço que representa o acolhimento de dois milhões de refugiados sírios e iraquianos na Turquia.

O ministério turco sublinhou que o governo, que gere o país há 12 anos, fez aprovar nos últimos anos várias reformas para reforçar um poder judicial "independente e objetivo" e a liberdade de expressão em geral.

No comunicado, o ministério afirmou igualmente ter em conta "críticas justas e razoáveis" apresentadas no relatório da Comissão Europeia.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.