sicnot

Perfil

Mundo

União Europeia critica Turquia por "graves retrocessos" na liberdade de expressão

A União Europeia denunciou hoje uma "tendência negativa" para o Estado de Direito na Turquia e "graves retrocessos" na liberdade de expressão, no relatório anual sobre os progressos do país rumo à adesão à UE.

reuters

O relatório "destaca a tendência geral negativa para o respeito do Estado de Direito e dos direitos fundamentais", indica a Comissão Europeia em comunicado, numa altura em que a União Europeia está a negociar com Ancara formas para melhorar a cooperação na crise migratória.

"Após vários anos de progresso sobre a liberdade de expressão, foram observados graves recuos nos últimos dois anos", lamentou o executivo de Bruxelas, que também se congratula com o esforço representado no acolhimento de dois milhões de refugiados sírios e iraquianos na Turquia.

A Comissão Europeia estima que o "novo Governo formado após as eleições antecipadas de 01 de novembro responderá a estas prioridades urgentes", dados que constam de um relatório que deveria ter sido publicado na primeira quinzena de outubro.

A publicação foi adiada devido às eleições na Turquia, ganhas pelo partido islâmico-conservador do Presidente Recep Tayyip Erdogan, que encontrou uma maioria absoluta no parlamento.

Bruxelas está a tentar persuadir as autoridades turcas a fazerem mais para conter o fluxo de migrantes que sai todos os dias das costas da Turquia, para, através das ilhas gregas no mar Egeu, atingir o continente europeu.

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.