sicnot

Perfil

Mundo

Brasil multa Volkswagen em mais de 12 milhões de euros

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) multou em 50 milhões de reais (cerca de 12,3 milhões de euros) a subsidiária da Volkswagen no país por ter manipulado as emissões poluentes dos seus automóveis, anunciaram hoje fontes oficiais.

© Mike Blake / Reuters

O valor da multa corresponde ao montante máximo aplicado a estes casos pela Lei de Crimes Ambientais, informou o Ibama em comunicado.

A entidade também exigiu à empresa um plano de correção dos veículos com software manipulado que foram comercializados no mercado brasileiro, para que cumpram os parâmetros de emissões de gases poluentes previstos pela legislação do Brasil.

As modificações exigidas serão exclusivamente para corrigir os dispositivos e não afetarão o desempenho do motor, adiantou.

No final do mês passado, a Volkswagen admitiu que manipulou o 'software' que mede as emissões poluentes dos motores a gasóleo dos automóveis Amarok, produzidos na Argentina e comercializados no Brasil.

O fabricante automóvel alemã disse que em 2016 irá chamar para revisão os proprietários de 17.057 veículos afetados por esta ação, com o objetivo de levar a cabo uma atualização do programa.

O Ibama começou a investigar a Volkswagem em setembro passado, depois da Agência de Proteção Ambiental norte-americana (EPA, na sigla inglesa) ter denunciado a existência de software fraudulento nos automóveis do grupo nos Estados Unidos.

Este software falseava os resultados das emissões poluentes dos veículos, que estavam muito acima daquilo que era permitido pela lei norte-americana.

A 25 de setembro, a Volkswagen Brasil foi notificada pelo Ibama e obrigada a prestar declarações sobre se a sua produção e comercialização no país incluía veículos com alguma alteração do mesmo género.

Numa carta enviada a 22 de outubro, a subsidiária do grupo alemão reconheceu que todo o lote de veículos de 2011 e parte de lote de 2012 do modelo a gasóleo Amarok argentino, comercializado no Brasil, apresentavam a mesma manipulação.

Lusa