sicnot

Perfil

Mundo

Nicolas Maduro denuncia na ONU campanha contra a Venezuela

O Presidente venezuelano, Nicolas Maduro, afirmou hoje na ONU que o seu país é alvo de um "assédio permanente", momentos depois do Alto-comissário da ONU para os Direitos Humanos ter criticado a falta de imparcialidade do sistema judiciário venezuelano.

(arquivo)

(arquivo)

© STRINGER Bolivia / Reuters

"A Venezuela está a enfrentar um assédio permanente e (...) para a manipulação dos Direitos Humanos (...) para isolar o nosso país", declarou Maduro, diante do Conselho dos Direitos Humanos da ONU, em Genebra.

"A Venezuela exige um maior respeito", acrescentou o chefe de Estado venezuelano, recordando que o seu país foi eleito há algumas semanas para o Conselho dos Direitos Humanos da ONU, órgão formado por 47 membros, um pequeno grupo quando comparado com os 193 estados-membros que compõem as Nações Unidas.

Momentos antes destas declarações de Maduro, o Alto-comissário da ONU para os Direitos Humanos, o jordano Zeid Ra'ad Al Hussein, tinha denunciado, através de videoconferência, a falta de imparcialidade do sistema judiciário venezuelano.

"Um bom número de órgãos da área dos Direitos Humanos da ONU, incluindo o grupo de trabalho sobre a detenção arbitrária e o comité de Direitos Humanos, bem como o meu próprio gabinete, expressaram sérias preocupações sobre a independência do poder judicial na Venezuela, a imparcialidade dos juízes e dos magistrados do Ministério Público e as pressões que enfrentam quando tratam de casos politicamente sensíveis", afirmou Zeid Ra'ad Al Hussein.

O Alto-comissário também denunciou "a intimidação, as ameaças e os ataques contra jornalistas, defensores dos Direitos Humanos e advogados".

A intervenção de Maduro, que viajou para Genebra com a sua mulher, ocorre um dia depois de opositores venezuelanos terem apresentado uma queixa junto do Tribunal Penal Internacional (TPI) contra o chefe de Estado venezuelano por crimes contra a humanidade.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.