sicnot

Perfil

Mundo

Cameron ainda "sem certeza" da morte de Jihadi John

Cameron ainda "sem certeza" da morte de Jihadi John

O primeiro ministro britânico diz que a morte de Jihadi John, a confirmar-se, foi um ataque de auto defesa dos Estados Unidos e do Reino Unido contra um homem capaz de atos de barbárie e culpado da morte de várias pessoas. David Cameron disse não haver ainda a certeza da morte do britânico Jihadi John, membro do grupo extremista Estado Islâmico, num ataque aéreo norte-americano na Síria.

  • Jihadi John morto em ataque dos EUA na Síria

    Daesh

    O britânico Mohamed Emwazi, conhecido como "jihadi John" e apontado como carrasco do Estado Islâmico, morreu hoje na sequência de um ataque aéreo lançado pelos Estados Unidos na Síria, informaram fontes militares à BBC.

  • EUA enviam forças especiais para a Síria na guerra contra o grupo Estado Islâmico
    0:44

    Daesh

    O secretário de Estado norte-americano garante que o envio de forças especiais para a Síria é apenas para combater o grupo Estado Islâmico. John Kerry diz que a intenção de Barack Obama não é interferir na guerra civil, nem na política do presidente Bashar Al-Assad. Os EUA anunciaram ainda que enviarão mais 100 milhões de dólares (90,8 milhões de euros) para ajudar a oposição síria, declarou o secretário de Estado adjunto, Tony Blinken.

  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.