sicnot

Perfil

Mundo

Reino Unido avalia eventual proibição de prescrição de medicamentos homeopáticos

O sistema de saúde público britânico (NHS) está a estudar a eventual proibição de prescrição de medicamentos homeopáticos, devido à falta de evidências sobre a sua eficácia, informou o Ministério da Saúde.

(arquivo)

(arquivo)

Reuters

"Perante a crescente procura do sistema de saúde, temos o dever de gastar o dinheiro público nos tratamentos mais eficazes", disse o secretário de Estado para a Ciência e Biologia, George Freeman, citado pela comunicação social britânica.

"Atualmente estamos a considerar se os medicamentos homeopáticos devem continuar a estar disponíveis através de prescrição do sistema público", afirmou Freeman.

O NHS gasta anualmente cerca de quatro milhões de libras (cerca de 5,64 milhões de euros) na área da homeopatia, um método medicinal alternativo baseado na ideia de curar certas doenças por meio dos agentes que as podem produzir. A terapêutica consiste na aplicação desses agentes em doses muitíssimo diluídas.

Na sua página na Internet, o sistema de saúde público britânico assinala que existem diversos estudos sobre estes medicamentos e que "não existem provas consistentes que indicam que a homeopatia é efetiva como tratamento para qualquer condição médica".

Em 2010, a comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Comuns (câmara baixa do Parlamento britânico) publicou um relatório que afirmava que os princípios da homeopatia são "inverosímeis" e que os efeitos mensuráveis sobre os doentes não superam os produzidos por placebos (substâncias sem ação biológica).

Peter Fisher, diretor de Investigação do Hospital Real de Londres de Medicina Integrada, o maior centro público na Europa dedicado a tratamentos alternativos, assegurou, por sua vez, que existem "vários estudos" que corroboraram a eficácia da homeopatia.

"Se comparadas as consultas médicas que integram a homeopatia com aquelas que não integram, [os estudos] são unânimes. Todos eles mostram que o resultado é melhor com a homeopatia", sublinhou o investigador.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.