sicnot

Perfil

Mundo

França esclarece que restaurou controlo de fronteiras mas não as fechou

A Presidência francesa esclareceu hoje que a França não vai "fechar" as fronteiras, mas antes restaurar os controlos, na sequência dos atentados de Paris, que fizeram pelo menos 120 mortos.

© Vincent Kessler / Reuters

François Hollande "decidiu restaurar imediatamente os controlos nas fronteiras", e não "encerrá-las", como anunciado inicialmente pelo chefe de Estado francês, indicou o Eliseu num comunicado citado, esta madrugada, pelos meios de comunicação franceses.

O restabelecimento dos controlos nas fronteiras tinha, de facto, sido uma medida já decidida para se aplicar desde sexta-feira -- pelo período de um mês --, a fim de garantir a segurança na capital francesa, que acolhe a cimeira do clima da ONU (COP21), prevista entre 30 de novembro a 11 de dezembro, na qual devem participar 195 delegações oficiais.

Vários ataques registados na sexta-feira à noite, em Paris, em pelo menos seis pontos distintos, incluindo uma sala de espetáculos e o estádio nacional, provocaram mais de 120 mortos e pelo menos 200 feridos, dos quais 80 em estado grave, segundo um balanço provisório facultado por uma fonte próxima da investigação à agência AFP.

O Presidente francês, François Hollande, já anunciou o estado de emergência na sequência do que classificou de "ataques terroristas sem precedentes" no país.

A segurança nas ruas da cidade foi reforçada com 1.500 soldados.

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47