sicnot

Perfil

Mundo

Buscas em casas de suspeitos islamitas em França

A polícia francesa efetuou buscas em várias casas de suspeitos islamitas, durante esta madrugada e em vários pontos do país, confirmou esta manhã o primeiro-ministro, Manuel Valls.

© Pascal Rossignol / Reuters

De acordo com Manuel Valls, "mais de 150 raids" foram realizados em círculos islâmicos em França desde os ataques de sexta-feira.

Em Lyon, foram apreendidas armas, incluindo um lançador de foguetes, coletes à prova de bala, várias pistolas e uma Kalashnikov. Cinco pessoas foram detidas, segundo uma fonte citada pela France Press.

O canal BFM TV explicou que os investigadores tinham "várias dezenas de alvos" nestas operações, realizadas também em Grenoble (leste), Toulouse (sul), Jeumont (norte) e Bobigny (arredores de Paris).

Uma operação realizada em Bobigny estava diretamente relacionada com os ataques de Paris na noite de sexta-feira, precisou a "France Info", enquanto se aguarda a divulgação dos resultados.

Em Grenoble, segundo o BFM TV, houve seis detenções e foram apreendidas armas.

Em Toulouse, em vários pontos de La Reynerie, no bairro de Le Mirail--del, de onde era oriundo um dos autores dos atentados de Paris, o francês Mohamed Merah, também autor de várias mortes na região em março de 2012, foram detidas pelo menos três pessoas. Cerca de 200 agentes participaram nas buscas e detenções de Toulouse, que se prolongaram durante três horas.

O Governo francês decretou na noite de sexta-feira o estado de emergência, o que permite às forças da ordem ignorar alguns procedimentos legais que podem atrasar as buscas em habitações de suspeitos.

A França e a Bélgica lançaram no domingo várias ordens de busca e captura de um suspeito jihadista implicado na onda nos ataques de sexta-feira, Salah Abdeslam, e que no sábado escapou a uma operação em Bruxelas em que foram detidas várias pessoas, entre elas, o seu irmão, Mohamed.

Salah Abdeslam, de 26 anos e nacionalidade francesa, ainda que residente na Bélgica, foi quem alugou neste país o carro usado pelos autores do ataque à sala de espetáculos Bataclan, um Volkswagen Polo. Suspeita-se que possa ser o oitavo homem dos comandos jihadistas, além dos sete que se fizeram explodir em Paris, durante os atentados.

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) referiu oito homens quando no sábado, em comunicado, reivindicou os atentados, que causaram pelo menos 129 mortos, entre os quais dois portugueses.

De acordo com o último balanço feito pelos hospitais, das 415 pessoas que foram atendidas nos hospitais após os ataques, pelos menos 42 feridos continuavam no domingo à tarde em vigilância intensiva em unidades de reanimação.

Os ataques ocorreram em vários locais da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e o Stade de France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como "ataques terroristas sem precedentes no país".

Com Lusa

  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.