sicnot

Perfil

Mundo

Suu Kyi regressa ao parlamento de Myanmar após vitória eleitoral

galeria de fotos

A líder da oposição de Myanmar (antiga Birmânia), Aung San Suu Kyi, que obteve uma vitória esmagadora nas eleições de 8 de novembro, regressou hoje ao parlamento enquanto deputada.

© Soe Zeya Tun / Reuters

© Soe Zeya Tun / Reuters

© Soe Zeya Tun / Reuters

© Soe Zeya Tun / Reuters

© Soe Zeya Tun / Reuters

© Soe Zeya Tun / Reuters

© Soe Zeya Tun / Reuters

"Preparámos o terreno para permitir ao novo parlamento trabalhar", disse o presidente da Assembleia, Shwe Mann, perante centenas de deputados, incluindo Aung San Suu Kyi, deputada desde as eleições parciais de 2012, em que o seu partido tinha conquistado a quase totalidade dos cerca de 40 lugares disputados nessa altura.

Com duas rosas vermelhas na mão, Aung San Suu Kyi chegou ao parlamento sozinha, sendo depois cercada por dezenas de câmaras.

Com o ar solene da primeira aparição pública desde o anúncio da sua vitória histórica, após 30 anos de luta, a líder da Liga Nacional para a Democracia (LND) não prestou declarações.

Parte das tropas do partido no poder, o USDP, marcado por uma derrota histórica, estavam ausentes. Os deputados militares, contingente não eleito que ocupa 25% dos lugares, começaram entretanto a chegar, vestidos com uniformes e recusando prestar declarações.

"Apelo a todos os deputados para trabalharem até ao final da sessão", que deverá terminar no final de janeiro de 2016, acrescentou Shwe Mann. Nas próximas semanas, será votado o orçamento.

De acordo com o sistema político birmanês, Aung San Suu Kyi e os cerca de 40 deputados da LND vão desempenhar o papel de oposição parlamentar até ao final de janeiro face a 331 deputados da USDP (partido no poder).

O novo parlamento, dominado em 80% pela LND, excluindo os 25% de deputados militares, só vai entrar em funções no início de 2016, em fevereiro ou março.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.