sicnot

Perfil

Mundo

Anonymous afirmam ter desativado mais de 5.500 contas "jihadistas"

O movimento de "hackers" Anonymous afirmou hoje ter desativado mais de 5.500 contas nas redes sociais relacionadas com o grupo extremista Estado Islâmico (EI), que reivindicou os ataques da passada sexta-feira em Paris.

© Stefan Wermuth / Reuters

O grupo de ativistas e piratas informáticos anunciou esta informação um dia depois de ter declarado guerra contra os meios "online" conotados com os 'jihadistas', ou seja, 'sites' e contas nas redes sociais.

"Informamos que mais de 5.500 contas no Twitter do EI estão agora em baixo", escreveu o grupo numa mensagem ("tweet") naquela rede social. A maneira como as contas foram danificadas não foi especificada.

Numa aparente reação do grupo extremista, uma nota publicada numa aplicação de mensagens pediu aos apoiantes do EI para protegerem as suas contas nas redes sociais.

"Os 'hackers' dos Anonymous ameaçam (...) realizar uma grande operação contra o EI (idiotas)", referiu a mensagem.

Na segunda-feira, os Anonymous divulgaram um vídeo na Internet em que declararam guerra aos 'jihadistas' e prometeram vingança pelos ataques de Paris, que fizeram pelo menos 129 mortos, incluindo dois portugueses, e centenas de feridos.

"Estes atentados não podem ficar impunes", declarou, em francês, um presumível elemento do grupo de ativistas informáticos, que surgiu no vídeo com o rosto coberto pela máscara de Guy Fawkes (um católico britânico que em 1606 tentou fazer explodir o Parlamento britânico e foi levado à forca por traição), máscara que ficou popularizada pelo filme "V de Vingança" e que foi adotada como símbolo do movimento.

"É por isso que os Anonymous de todo o mundo vão caçar-vos. (...) Vamos lançar a maior operação jamais realizada contra vocês, podem esperar um grande número de ataques cibernéticos. A guerra está desencadeada, preparem-se. O povo francês é mais forte que tudo e irá sair ainda mais forte desta atrocidade", afirmou o mesmo elemento, no vídeo divulgado no "site" de partilha de vídeos Youtube.

Lusa

  • Anonymous declara guerra ao Estado Islâmico

    Ataques em Paris

    O grupo Anonymous declararou guerra ao Estado Islâmico, em reação aos atentados em Paris. O Anonymous publicou um vídeo no Youtube, no qual promete lançar "a maior operação de sempre" contra o Estado Islâmico, que deverá "esperar ciberataques massivos".

  • Atentados na Catalunha estão relacionados, 14 mortos

    Ataque em Barcelona

    Uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Espanha, depois do atentado de ontem que fez 13 mortos em Barcelona. As operações de busca centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "Nas Ramblas, é como se nada tivesse acontecido"
    1:35

    Ataque em Barcelona

    Um atentado terrorista em Barcelona matou 13 pessoas e feriu cerca de 100. O ataque aconteceu na zona das Ramblas, quando uma carrinha avançou sobre quem circulava nessa grande via no centro da capital da Catalunha. O repórter Emanuel Nunes está em Barcelona e deu conta do regresso à normalidade nas Ramblas, logo às primeiras horas da manhã.

  • Barcelona abalada pelo terrorismo
    1:03
  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.