sicnot

Perfil

Mundo

Fluxo de estrangeiros para Iraque e Síria manteve-se em 2015

O fluxo de combatentes estrangeiros para o Iraque e a Síria manteve-se em 2015, com cerca de 7.000 chegadas nos primeiros seis meses, e os europeus correspondem a um quinto do total, segundo um relatório internacional divulgado hoje.

No Global Terrorism Index (Índice do Terrorismo Global - ITG) 2015, realizado pelo Instituto para a Economia e Paz (IEP), de Sydney, concluiu-se também que o grupo Estado Islâmico provoca mais mortos no campo de batalha que através de atos terroristas e que o fundamentalismo islâmico não é a principal motivação dos atos de terror cometidos no Ocidente da última década.

"Quase 30.000 estrangeiros de 100 países viajaram para o Iraque e a Síria desde 2011", lê-se no documento, que cita estimativas de organizações internacionais e governos nacionais.

Os países europeus, não contando com a Turquia (04 por cento), são responsáveis por 21% desse contingente e França é o que mais cidadãos conta nas fileiras de grupos 'jihadistas', com cerca de 1.800 combatentes estimados.

O relatório, concluído antes dos atentados da passada sexta-feira em Paris, cujas investigações apontam para o envolvimento de atuais ou antigos membros do Estado Islâmico, indica por outro lado que pelo menos 180 'jihadistas' regressaram a França, suscitando nas autoridades o receio do seu potencial para cometer atos terroristas no país.

Dois terços dos combatentes estrangeiros na Síria e no Iraque são oriundos de países do Médio Oriente e Norte de África, com a Tunísia como principal "fornecedor", com 5.000 homens, e a Arábia Saudita como segundo, com cerca de 2.500.

Dos países não islâmicos, aqueles que mais combatentes contam são a Rússia, com cerca de 2.500, e França.

Na União Europeia (UE), além de França, destacam-se pelo número de combatentes que viajaram para aqueles dois países a Alemanha, Reino Unido, Bélgica, Suécia e Holanda.

O Estado Islâmico, que em 2014 conquistou vastas áreas do Iraque e da Síria, provoca mais mortes no campo de batalha -- pelo menos 20.000 mortos em combates -- que através de atos terroristas -- cerca de 6.000.

A maioria de mortes por terrorismo nas últimas décadas não ocorreu no Ocidente: mesmo contando com o 11 de setembro de 2001, o atentado terrorista que mais mortos fez no Ocidente (2.996), elas correspondem a apenas 2,6% do total de mortes por atos terroristas.

No Ocidente, definido no relatório como o conjunto dos 38 países que compõem a Europa, Estados Unidos, Canadá e Austrália, a maioria dos ataques (70%) é cometida pelos chamados "lobos solitários" -- indivíduos ou pequenos grupos de indivíduos que cometem um ataque em apoio a um grupo, movimento ou ideologia, sem assistência material ou ordens desse grupo.

Mas o fundamentalismo islâmico não foi a principal motivação desses atos, com 80% das mortes provocadas por ataques terroristas no Ocidente a serem provocadas por extremismo político.

E, em 2014, apenas um atentado, o ataque de 24 de maio a um museu judaico na Bélgica, que fez quatro mortos, foi perpetrado por um antigo membro do Estado Islâmico.

Lusa

  • Presidente do Tondela diz que clube foi humilhado
    1:26

    Desporto

    O presidente do Tondela participou esta segunda-feira na conferência de imprensa após o jogo da 23.ª jornada da I Liga com o Sporting. Gilberto Coimbra criticou o árbitro do encontro João Capela, e diz que o tempo de compensação dado a mais foi por uma falta que não foi assinalada sobre um jogador do Tondela, Bruno Monteiro.

  • Último golo do Sporting ao Tondela "é legal e limpinho" 
    0:41

    Desporto

    Jorge Jesus entende que a vitória desta segunda-feira do Sporting frente ao Tondela não merece contestação e destaca o facto de o árbitro ter avisado os jogadores que iria prolongar o tempo extra. Para o treinador dos leões, o golo no minuto 99' é legal. 

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC