sicnot

Perfil

Mundo

Fluxo de estrangeiros para Iraque e Síria manteve-se em 2015

O fluxo de combatentes estrangeiros para o Iraque e a Síria manteve-se em 2015, com cerca de 7.000 chegadas nos primeiros seis meses, e os europeus correspondem a um quinto do total, segundo um relatório internacional divulgado hoje.

No Global Terrorism Index (Índice do Terrorismo Global - ITG) 2015, realizado pelo Instituto para a Economia e Paz (IEP), de Sydney, concluiu-se também que o grupo Estado Islâmico provoca mais mortos no campo de batalha que através de atos terroristas e que o fundamentalismo islâmico não é a principal motivação dos atos de terror cometidos no Ocidente da última década.

"Quase 30.000 estrangeiros de 100 países viajaram para o Iraque e a Síria desde 2011", lê-se no documento, que cita estimativas de organizações internacionais e governos nacionais.

Os países europeus, não contando com a Turquia (04 por cento), são responsáveis por 21% desse contingente e França é o que mais cidadãos conta nas fileiras de grupos 'jihadistas', com cerca de 1.800 combatentes estimados.

O relatório, concluído antes dos atentados da passada sexta-feira em Paris, cujas investigações apontam para o envolvimento de atuais ou antigos membros do Estado Islâmico, indica por outro lado que pelo menos 180 'jihadistas' regressaram a França, suscitando nas autoridades o receio do seu potencial para cometer atos terroristas no país.

Dois terços dos combatentes estrangeiros na Síria e no Iraque são oriundos de países do Médio Oriente e Norte de África, com a Tunísia como principal "fornecedor", com 5.000 homens, e a Arábia Saudita como segundo, com cerca de 2.500.

Dos países não islâmicos, aqueles que mais combatentes contam são a Rússia, com cerca de 2.500, e França.

Na União Europeia (UE), além de França, destacam-se pelo número de combatentes que viajaram para aqueles dois países a Alemanha, Reino Unido, Bélgica, Suécia e Holanda.

O Estado Islâmico, que em 2014 conquistou vastas áreas do Iraque e da Síria, provoca mais mortes no campo de batalha -- pelo menos 20.000 mortos em combates -- que através de atos terroristas -- cerca de 6.000.

A maioria de mortes por terrorismo nas últimas décadas não ocorreu no Ocidente: mesmo contando com o 11 de setembro de 2001, o atentado terrorista que mais mortos fez no Ocidente (2.996), elas correspondem a apenas 2,6% do total de mortes por atos terroristas.

No Ocidente, definido no relatório como o conjunto dos 38 países que compõem a Europa, Estados Unidos, Canadá e Austrália, a maioria dos ataques (70%) é cometida pelos chamados "lobos solitários" -- indivíduos ou pequenos grupos de indivíduos que cometem um ataque em apoio a um grupo, movimento ou ideologia, sem assistência material ou ordens desse grupo.

Mas o fundamentalismo islâmico não foi a principal motivação desses atos, com 80% das mortes provocadas por ataques terroristas no Ocidente a serem provocadas por extremismo político.

E, em 2014, apenas um atentado, o ataque de 24 de maio a um museu judaico na Bélgica, que fez quatro mortos, foi perpetrado por um antigo membro do Estado Islâmico.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.