sicnot

Perfil

Mundo

Conselho muçulmano pede a mesquitas que condenem terrorismo

O Conselho Francês do Culto Muçulmano (CFCM), organismo representativo islâmico, vai divulgar nas cerca de 2.500 mesquitas de França um "texto formal" condenando de forma inequívoca toda a "forma de violência ou terrorismo", para as orações de sexta-feira.

Reuters

"Diante do horror dos assassínios indiscriminados que foram realizados" a 13 de novembro em Paris, em que 129 pessoas foram mortas, "o CFCM e todas as organizações muçulmanas apelam a todas as mesquitas de França para consagrar as orações de sexta-feira a estes eventos trágicos que profundamente tocaram a comunidade nacional", segundo um comunicado da organização.

O CFCM afirmou que divulgará nas mesquitas "um texto solene que poderá servir de linha diretriz para o próximo sermão" de sexta-feira.

"Os muçulmanos de França reafirmam a sua rejeição categórica e de forma inequívoca qualquer forma de violência ou terrorismo, que é a negação mesmo dos valores da paz e fraternidade que contém o islão", referiu o CFCM.

A organização "proclama igualmente o seu compromisso inabalável com o pacto republicano que nos une a todos, assim como os valores que fazem a França", segundo a nota.

De acordo com o comunicado, "os muçulmanos elevarão as suas orações para a França, com todos os votos de paz e segurança para a pátria", como já haviam feito depois dos atentados ao jornal parisiense Charlie Hebdo e a um supermercado, em janeiro, que resultaram em 19 mortos.

Os responsáveis das grandes federações muçulmanas (relacionados com a Argélia, Marrocos, Turquia, próximos da Irmandade Muçulmana e outros grupos), que não reúnem todas as mesquitas da França, condenaram "a barbárie" dos atentados de Paris.

A grande mesquita de Paris, símbolo de mais de um século de presença islâmica em França, convocou uma reunião para sexta-feira.

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.