sicnot

Perfil

Mundo

Conselho muçulmano pede a mesquitas que condenem terrorismo

O Conselho Francês do Culto Muçulmano (CFCM), organismo representativo islâmico, vai divulgar nas cerca de 2.500 mesquitas de França um "texto formal" condenando de forma inequívoca toda a "forma de violência ou terrorismo", para as orações de sexta-feira.

Reuters

"Diante do horror dos assassínios indiscriminados que foram realizados" a 13 de novembro em Paris, em que 129 pessoas foram mortas, "o CFCM e todas as organizações muçulmanas apelam a todas as mesquitas de França para consagrar as orações de sexta-feira a estes eventos trágicos que profundamente tocaram a comunidade nacional", segundo um comunicado da organização.

O CFCM afirmou que divulgará nas mesquitas "um texto solene que poderá servir de linha diretriz para o próximo sermão" de sexta-feira.

"Os muçulmanos de França reafirmam a sua rejeição categórica e de forma inequívoca qualquer forma de violência ou terrorismo, que é a negação mesmo dos valores da paz e fraternidade que contém o islão", referiu o CFCM.

A organização "proclama igualmente o seu compromisso inabalável com o pacto republicano que nos une a todos, assim como os valores que fazem a França", segundo a nota.

De acordo com o comunicado, "os muçulmanos elevarão as suas orações para a França, com todos os votos de paz e segurança para a pátria", como já haviam feito depois dos atentados ao jornal parisiense Charlie Hebdo e a um supermercado, em janeiro, que resultaram em 19 mortos.

Os responsáveis das grandes federações muçulmanas (relacionados com a Argélia, Marrocos, Turquia, próximos da Irmandade Muçulmana e outros grupos), que não reúnem todas as mesquitas da França, condenaram "a barbárie" dos atentados de Paris.

A grande mesquita de Paris, símbolo de mais de um século de presença islâmica em França, convocou uma reunião para sexta-feira.

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.