sicnot

Perfil

Mundo

Outubro deste ano foi o mais quente da história desde 1880

O passado mês de outubro foi o mais quente da história desde que se começaram a recolher dados meteorológicos em 1880, divulgou hoje a agência federal norte-americana para a Atmosfera e os Oceanos (NOAA, na sigla em inglês).

© David Gray / Reuters

A agência norte-americana indicou igualmente que os primeiros 10 meses de 2015 foram os mais quentes de sempre.

A poucas semanas da 21.ª Cimeira do Clima da ONU (COP21), a realizar em Paris, estes últimos dados demonstram que 2015 está na iminência de se tornar no ano mais quente alguma vez registado.

Este ano, os meses de janeiro e de abril foram os únicos que não bateram recordes de temperaturas.

Até agora, no presente ano, a temperatura registada na superfície terrestre e nos oceanos foi superior em 0,86 graus Celsius à média do século XX.

"O período de janeiro a outubro foi o mais quente do período compreendido entre 1880/2015 e bateu o anterior recorde, estabelecido no ano passado, de 0,12°C", referiu a NOAA.

A COP21 vai decorrer em Bourget, no norte de Paris, de 30 de novembro a 11 de dezembro, com representantes de 195 países.

O encontro sob a égide da ONU tem como objetivo conseguir um acordo internacional sobre a redução de emissões de gases com efeito de estufa, responsáveis pelo aquecimento global e pelas suas consequências catastróficas, nomeadamente o aumento do nível do mar.

Limitar o aquecimento global a dois graus Celsius até ao final do século, por referência ao período anterior à Revolução Industrial, é a grande meta e, para muitos, a única forma de evitar os piores efeitos das mudanças climáticas.

Lusa

  • Um homem de 83 anos é a 42.ª vítima dos incêndios
    1:27

    País

    Subiu para 42 o número de vítimas mortais nos incêndios deste domingo. Um homem de 83 anos foi encontrado sem vida em Lugar de Covelo, em Vouzela. O número de feridos mantém-se, 14 estão em estado grave. A maior parte das mortes aconteceu no distrito de Coimbra (20) e Viseu (19). Segundo a Proteção Civil, já não há desaparecidos. Sete pessoas estavam dadas como desaparecidas e apenas uma foi encontrada sem vida. Um bebé de poucos meses tinha sido dado como morto, mas foi encontrado com vida.

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08